II. Namoro
1. Definição de Namoro
Fase de conhecimento social e amoroso entre um homem e uma mulher que pretendem se casar. Segundo o Dr. Aurélio significa dentre outros, cativar, amar, atrair, cortejar, etc. Para alguns teólogos é a fase do conhecimento. Namoricos: Atualmente, de acordo com a região, existem muitas palavras que indicam um namorico: flerte, paquera, esbarro, esbarrão, tapa, xaveco, ficar, etc. Mas entenda que estes tipos de ajuntamentos não se enquadram nos padrões ético-cristãos.
2. Namoro à Luz da Bíblia
Quando Isaac estava pronto para se casar, seu pai, Abraão enviou um servo a sua pátria para escolher uma esposa para ele (Isaac). O servo encontrou Rebeca e trouxe-a na volta para Canaã, para ser esposa de Isaac. Ele só se encontrou com Rebeca pouco antes de se casarem e não a namorou (Gn 24). Isso pode parecer estranho, até mesmo espantoso, para uma pessoa jovem hoje em dia, mas os casamentos arranjados pelos pais eram comuns nos tempos bíblicos. O que dizer do romance? E se o homem e a mulher não fossem fisicamente atraídos um pelo outro? Esses casamentos, com freqüência, duravam precisamente por que não eram iniciados na base da atração física ou do amor romântico, uma emoção que é frequentemente difícil de sustentar.
Hoje, contudo, é mais comum os jovens selecionarem seus próprios companheiros. Enquanto o namoro nem sempre leva ao casamento, é o método usual de se encontrar um parceiro para o casamento. O namoro sempre permite que se observe e se conheça mais sobre aquela pessoa especial a quem se está considerando como um possível companheiro (a). obviamente, o namoro pode e deve ser agradável, mas também é sério. A seleção de um parceiro para o casamento é uma das mais significativas decisões que uma pessoa fará na vida. A Bíblia ensina que quando um homem e uma mulher se casam, de deverão permanecer casados pelo resto de suas vidas. O divórcio é autorizado por Deus somente em casos quando o adultério foi cometido por um dos parceiros (Mt 19:3-9; 5:31-32). Uma má escolha do companheiro (a) é uma decisão que pode causar muito sofrimento, mais tarde, na vida. Por outro lado um bom companheiro (a) é uma fonte de bênção em nossa vida (Pv 18:22).
3. Procurando um Bom Esposo
A responsabilidade do esposo é amar sua esposa sem egoísmo, assim como Cristo amou a Igreja (Ef 5:25-29). Ele precisa estar pronto a sacrificar-se por ela, a amá-la nos tempos difíceis. O esposo é a cabeça da esposa, mas precisa respeitá-la como aquela que se submeteu a ele voluntariamente (1 Pe  3:7). Como provedor de sua casa ele precisa possuir a vontade de trabalhar com suas mãos e sua mente (Gn 3:17;1 Tm 5:8).
4. Procurando uma Boa Esposa
A responsabilidade da esposa é amar seu esposo e filhos e cuidar da casa (Tt 2:4, 5; 1 Tm 5:14). Os cuidados da casa, incluindo o trato e o ensinamento dos filhos, exigem muito trabalho e paciência. Ela precisa querer submeter-se à autoridade de seu marido, justamente como a igreja submete-se a sua cabeça, Jesus Cristo, em todas as coisas (Ef 5:22-24). Todo o homem jovem faria bem em ler Provérbios 31: 10-31 e considerar as qualidades da mulher descrita nesse texto.
5. Traços Gerais de Caráter
Há outros traços de caráter e atitudes que são de suma importância para o sucesso no casamento.
Por exemplo, a confiança é a base do casamento. Aqueles que servem para o casamento deverão falar sempre a verdade, não só um com o outro, mas em qualquer circunstância (Cl 3:9). Haverá ocasiões em um casamento quando um parceiro não terá como verificar a veracidade do outro. Para que esse casamento perdure, cada um precisa ser capaz de ter confiança na honestidade e fidelidade do outro. Duas pessoas quaisquer, numa relação tão íntima como o casamento, eventualmente pecarão uma contra a outra.para que essa relação permaneça sadia, ambos precisam ser capazes de admitir o erro e pedir perdão. Isso exige humildade, que não é a ausência de confiança em si mesmo, mas antes uma avaliação adequada de si mesmo em relação com Deus e com os outros.
Talvez uma das fraquezas humanas mais comuns é a raiva desenfreada. Impaciência com irritabilidade faz uma combinação terrível, que frequentemente destrói a comunicação num casamento e às vezes resulta em violência física de um parceiro contra o outro. A Bíblia adverte repetidamente contra o perigo da ira incontida (Tg1:19, 20; Ef 4:26, 27, 31-32). Espiritualidade e respeito pela Palavra de Deus são os traços que formam uma base firme para todos estes outros traços de caráter e atitudes. Aqueles que vivem num nível puramente físico, cuidando apenas dos prazeres da carne, dão maus parceiros de casamento porque tendem a ser abertamente egoístas e frequentemente lhes falta domínio próprio. Aqueles homens e mulheres que estão habituados a seguir a palavra de Deus na vida serão melhores cônjuges, simplesmente porque a Bíblia contém a receita para um casamento bem sucedido.
6. Sugestões para o Namoro
O processo de amadurecimento físico e mental dos jovens traz tanto potência quanto perigo. É claro, nosso corpo frequentemente amadurece mais depressa que nosso juízo! Além disso, os desejos sexuais são, com freqüência, mais fortes na adolescência e na juventude do que em qualquer outro período da vida. Por esta razão, é importantíssimo que os jovens percebam a importância de manter a pureza sexual. A Bíblia é clara sobre o fato que ter relações sexuais antes do casamento é pecaminoso (1 Co 6:13-18; 7:1, 2). Umas poucas orientações simples para o namoro ajudarão a diminuir o perigo de ser-se apanhado na impureza:

Evite o contato físico excessivo. As chamas da paixão frequentemente são avivadas pelo contato físico íntimo até o ponto em que nenhuma pessoa quer parar. Muitos homens e mulheres têm pensado que poderiam se conter em certas circunstâncias, mas perderam sua pureza num momento de fraqueza.


Não se encha de desejos pecaminosos. Evitando situações que provoquem a tentação (Rm 13:14). É possível resistir a tentação, mas precisamos querer buscar o meio de escapar (1 Co 10:12, 13).


Evite lugares escuros e isolados. Planeje as atividades do namoro, em vez de se deixar levar pela paixão do momento. Roupas modestas também ajudam a evitar a tentação. As mulheres, especialmente, deveriam vestir-se de tal modo que reflita sua castidade e pureza; vestir-se de roupas escandalosas é sugerir ao seu namorado que pode estar querendo se envolver em comportamento lascivo.


Evite namorar com pouca idade. Por causa do principal propósito do namoro, isto é, encontrar um companheiro, é um erro começar a namorar muito cedo. Tal prática meramente coloca meninos e meninas em situações para as quais não estão preparados. Infelizmente os jovens, frequentemente e erradamente consideram o comportamento lascivo como um sinal de maturidade e desejam desesperadamente tornar-se adultos. Os pais dos jovens não deveriam permitir-lhes namorar enquanto não amadurecerem suficientemente para entender os perigos e as responsabilidades do namoro.



Tem sido observado que geralmente casamos com alguém que namoramos! Por essa razão os homens e as mulheres precisam agir com cuidado no namoro. Olhar para o caráter da pessoa que namoramos em vez de ver somente sua aparência física, pode ajudar a garantir a escolha de um bom parceiro. A prudência no namoro nos ajudará a evitar os trágicos erros e pecados que podem danificar seriamente nossas oportunidades de futura felicidade nesta vida e na eternidade. 


KELLY, J.ND. Doutrinas Centrais da Fé. Ed. Vida Nova, São Paulo – SP 1ª Edição 1994
STOTT, John. O Cristão em uma Sociedade Não-Cristã. Ed. Vinde, Niterói Rj. 1ª Edição 1989.


:: Leia outras postagens da Série ::

I. A FAMÍLIA CRISTÃ

III. NOIVADO

IV. ÉTICA NO CASAMENTO

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir, distribuir ou divulgar este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério, e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.



Maique Borges


Avatar
Maique de Souza Borges, é um teólogo autodidata, estudante e amante da música sacra. Com o intuito de proclamar as Boas Novas, e convidar os brasileiros para voltarem à centralidade da Palavra de Deus, criou o blog Cooperadores do Evangelho. É casado com Poliana Borges e é o pai do Miguel.