*Não deixe de ler as outras duas partes deste artigo, pois estão interligadas.  (Parte 1 de 3) e (Parte 3 de 3)



[continuação]

[...] Uma experiência pessoal
Certa manhã de domingo, fui pregar em uma distante congregação. Percebi que o ambiente estava muito escuro, enquanto alguns irmãos se entreolhavam um tanto espantados, como que segurando uma boa gargalhada. Depois de algum tempo percebi que a igreja não estava escura. O problema estava na minha própria maneira de ver as coisas: eu havia esquecido de tirar os óculos escuros!
Para não perder a oportunidade de comunicar algum ensinamento, falei na introdução que a maneira como encaramos determinadas situações depende muito da nossa visão. “É preciso tirar os óculos escuros”, afirmei.
Esse incidente pode muito bem servir para várias ilustrações. Vejamos alguns títulos que poderíamos aplicar para essa ilustração:
1) Desobstruindo a visão
2) Visão ofuscada
3) Visão equivocada
4) “É preciso tirar o argueiro (cisco)”etc.
Percebeu? Muito bem. Esse caso pode ser copiado com o título de “visão”, e arquivado na letra “v”. Mas se você não arquivar no lugar certo, dentro de pouco tempo não mais se lembrará do nome do lugar ou das circunstâncias daquele momento.
ANTES DE COMEÇAR
Antes de começar, observe as considerações abaixo, para maior aproveitamento das atividades:
  1. Esteja atento aos acontecimentos ao seu redor. Um simples alerta provocado pelo ruído de uma buzina pode iniciar um processo de percepção.
  2. Em segundo lugar esteja atento à busca do saber, ou seja, para que seus conhecimentos sejam ampliados. Quanto maior o número de informações que você possuir, mais condições terá para preparar e apresentar sermões. Quem teve oportunidade de fazer um curso teológico sabe a importância de formar o hábito do estudo sistemático. Todo pregador, obreiro leigo ou candidato ao ministério deveria aproveitar todo tempo disponível para crescer no conhecimento e, é claro, “na graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2 Pe 3:18). Minha avó costumava dizer que “saber não ocupa espaço”. Entretanto, isso exige esforço, determinação e disciplina, porque não acontece por acaso. Esse saber vem por meio de várias fontes: a principal é a Bíblia. Nenhum servo do Senhor deveria deixar de estudar a Palavra de Deus diariamente, e, sobretudo, fazer disso um hábito, ou melhor, um modo de vida. Outra fonte essencial são os bons livros, principalmente os cristãos. Em seguida vêm as revistas, jornais etc. Dessas leituras sempre surgem muitas ilustrações que podem ser recortadas e arquivadas. 
  3. Biblioteca - A leitura de um bom livro por mês seria um bom começo. Esse leitor, no final de cada ano teria uma pequena biblioteca composta de 12 volumes. Não é um bom começo? No final de 5 anos, quantos livros seriam? Evidentemente, as circunstâncias financeiras nem sempre permitem tais iniciativas, mas se houver essa consciência, certamente haverá um caminho. Entenda-me: não tenho nada contra refrigerantes, mas se o substituirmos por água potável e investir esse dinheiro em outra coisa mais útil, por certo teremos dividendos formidáveis no futuro. Eis alguns livros que não deveriam faltar na sua biblioteca:


·        Bíblias em várias versões;
·        Dicionário bíblico;
·        Dicionário da Língua Portuguesa (ou o dicionário do seu idioma nativo);
·        Concordância;
·        Comentários bíblicos.



  1. Arquivo de ilustrações – A maneira mais prática de organizar um arquivo, seja ele de ilustrações, seja de caráter ministerial, é em ordem alfabética. Pode ser em fichas individuais, ou recortes de jornais e revistas. Quem dispõe de um computador há maneiras mais práticas de se organizar digitalmente. […] Se você desejar colocar seus recortes e anotações em um caderno usado, também é ótima idéia. Mas não deixe de organizar seu próprio material alegando falta de condições! Começar é preciso. O início pode ser cansativo, mas já pensou nos benefícios? No início a forma de arquivamento, bem como os materiais disponíveis para coletar não são os produtos mais importantes. O mais importante é encontrá-los quando precisar. Então, comece! Até a tartaruga não começa a andar enquanto não estica o pescoço.
[continua em próximas postagens]
PERMISSÕES: Você está autorizado e incentivado a reproduzir, distribuir ou divulgar este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério, e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Leia Nossa Política de Comentários


Maique Borges


Avatar
Maique de Souza Borges, é um teólogo autodidata, estudante e amante da música sacra. Com o intuito de proclamar as Boas Novas, e convidar os brasileiros para voltarem à centralidade da Palavra de Deus, criou o blog Cooperadores do Evangelho. É casado com Poliana Borges e é o pai do Miguel.