Autor:  Dr. Carl McIntire
do Presbiteriano Bíblico.

O marxismo deriva seu nome de Carl Marx. O Cristianismo deriva seu nome de Jesus Cristo. No marxismo não há deus; o homem não tem alma; é propriedade e escravo de um estado totalitário. No Cristianismo é reconhecido o único verdadeiro Deus. O homem é responsável perante esse Deus por si mesmo, por sua propriedade, por seu tempo e por tudo o mais. A fim de cumprir essas responsabilidades precisa ser livre para servir ao seu Senhor. Conforme a orientação do Espírito de Deus, segundo a Palavra de Deus.
Nos dois sistemas não há ponto de contato, não há correspondência, e por isso não é possível equacioná-los. São diametralmente opostos entre si. O emprego de fraseologia marxista e de conceitos cristãos, a fim de manter que o marxismo, e o cristianismo, embora com métodos diferentes, buscam os mesmos alvos sociais, é uma fraude.

A famosa tese marxista, contida no Manifesto Comunista de 1848: "De cada qual segundo sua habilidade, a cada qual segundo sua necessidade; não tem paralelo na religião cristã. O estado tira de cada qual segundo sua habilidade; o estado devolve a cada um segundo a sua necessidade. O homem é um escravo. Além disso o estado determina o que o homem deve produzir segundo sua habilidade, e o estado determina o que o homem deve receber, segundo sua necessidade.

O conceito cristão está resumido no Salmo 23:

“O Senhor é o meu pastor: nada me faltará. Ele me faz repousarem pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso: refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo: a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias de minha vida: e habitarei na casa do Senhor para todo o sempre”.

Contudo, os líderes do Concilio Mundial de Igrejas e Concilio Nacional das Igrejas de Cristo, nos Estados Unidos da América, endossaram abertamente a tese marxista. O dI' Frederick Nolde, diretor da Comissão das Igrejas sobre Negócios Internacionais do Concílio Mundial de Igrejas, e porta-voz do Concílio Nacional de Igrejas perante as Nações Unidas, no discurso feito perante a Terceira Assembléia do Concílio Mundial de Igrejas, a 23 de novembro de 1961, disse: “Quando as preocupações morais e humanitárias assumirem proeminências, os princípios frequentemente citados pelos comunistas - de cada qual segundo sua habilidade,a cada qual segundo sua necessidade - poderá servir como orientação segura!”

Falando perante a Divisão de Missões ao Estrangeiro e ao Serviço Eclesiástico Mundial do Concílio Nacional de Igrejas, por ocasião da Assembléia Trienal do Concílio Nacional de Igrejas, em Filadélfia, a 2 de dezembro de 1963, o Dr. W. A. Visser't Rooft, secretário-geral do Concílio Mundial de Igrejas, também deu a essa tese uma sanção Cristã. Declarou ele: “Lênin provavelmente não tinha consciência disso, mas o slogan que usava 'De cada qual segundo a sua habilidade, a cada qual segundo a sua necessidade' em realidade está enraizada no ensinamento de São Paulo sobre a solidariedade que reina na Comunhão Cristã: 'suprindo a vossa abundância no presente a falta daqueles, de modo que a abundância daqueles venha a suprir a vossa falta e assim igualdade” (II Coríntios 8:14).

Mas a declaração de Paulo exortava acerca de uma contribuição voluntária por parte de um povo, membro de uma igreja local, e não tem relação alguma com a ditadura marxista onde, sob a compulsão do Estado, o individuo é forçado a produzir de conformidade com o cálculo do Estado sobre sua habilidade, enquanto recebe de conformidade com o cálculo de distribuição do Estado. Aqui temos um Estado totalitário. Ali temos uma igreja livre. A verdadeira Igreja de nosso Senhor Jesus Cristo é que deveria prover a liderança espiritual que denuncie militarmente os perigos do marxismo. O Concílio Internacional de Igrejas Cristãs, atualmente representando 89 denominações protestantes, tem procurado prover essa liderança para o mundo cristão. Em um de seus pronunciamentos, expôs a natureza do marxismo. O marxismo e o comunismo são a mesma coisa: não há diferença entre eles: O Marxismo (ou comunismo) é uma ameaça às igrejas cristãs espalhadas pelo mundo. Declarou o Concílio Internacional de Igrejas Cristãs:

I.            QUE É O COMUNISMO?

Pela palavra comunismo se entende: A filosofia, a doutrina econômica, a política, o programa e as aventuras militares dos partidos comunistas do mundo. Essas doutrinas foram apresentadas, primeiramente, por Karl Marx e Frederick Engels no Manifesto Comunista de 1848, desenvolvido por Lenin e Stalin, e desde então crido e praticado pelos partidos comunistas do mundo, sob a liderança do Partido Comunista da União Soviética.

Portanto, declaramos que rejeitamos e condenamos a ideologia citada, bem como o programa do comunismo. Opomo-nos a isso devido aos seguintes aspectos do movimento:

1. Seu materialismo dialético, que é militarmente ateu.
2. Seu materialismo histórico, que é militarmente ateu.
3. Sua teoria de determinismo econômico do caráter humano, uma teoria que é anti-cristã e avilta a dignidade humana.
4. Seu esforço de derrubar pela violência todos os governos, existentes.
5. Sua ditadura do proletariado, que foi definido por Lenin como «a regra baseada na força e sem restrição de lei», do Partido Comunista.
6. Sua negação dos valores morais e espirituais.
7. Seu repúdio ao valor do individuo e à sua herança de liberdade.
8. Seu total raciocínio sofístico sobre o comportamento, baseado na exploração do descontentamento.
9. Seu desenvolvimento sistemático da traição, em todos os países, visando os interesses da Rússia.

    II.            QUE Ê O CRISTIANISMO?

Cristianismo e comunismo são totalmente diferentes, e não podem ser identificados em qualquer ponto. O Cristianismo ensina acerca do único Deus vivo, que se revelou na revelação geral da criação e na revelação especial escrita chamada Bíblia. Apresenta um Reino espiritual e assegura ao homem que Deus o ajudará na provisão de suas necessidades materiais, sempre que o homem buscar primeiramente o Reino de Deus e Sua justiça:

Apresenta uma concepção do homem que exige liberdade para o individuo e amor pelo próximo. Reconhece o direito da propriedade particular, o motivo do lucro, e a responsabilidade de todos os homens serem bons mordomos de suas possessões perante Deus.
O Cristianismo ensina:

1. Que no principio Deus criou os céus e a terra, e subsequentemente criou o homem.
2. Que Deus é ativo e soberano na história fazendo tudo "segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus nosso Senhor (Efésios 2:11).
3. Que a natureza humana é pecaminosa, arruinada pela queda e pode ser remida exclusivamente pelo arrependimento para com Deus e a fé em Jesus Cristo.
4. Que os homens têm responsabilidades como cidadãos, e devem obedecer às leis de todos os governos responsáveis, os quais por sua vez, devem ser ministros de Deus, visando o bem.
5. Que o governo pela lei, baseado no consentimento dos governos, é mantido por homens livres, visando à glória de Deus.
6. A realidade das leis de Deus, do pecado, e da responsabilidade humana.
7. Que Deus ama e dá mais valor à alma individual do que o mundo inteiro.
8. Que o mal nunca deve ser feito no interesse do bem. Os fins nunca justificam os meios.
9. Lealdade no Senhor aos governos civis bons e legais, no qual se dê a César o que é de César.
10. A gloriosa Esperança da Igreja na volta pessoal de Jesus Cristo, a fim de estabelecer o Seu Reino, e o destino final de todos os homens, quer no Céu quer no inferno.

 III.            SENDAS PARA O COMUNISMO

1. O comunismo aprova e encoraja as presentes tendências socialistas através do mundo inteiro, porque ele mesmo ensina que o socialismo ou o capitalismo estatal, como os comunistas o chamam - é o estágio final do capitalismo, e arma o palco para sua posse revolucionária do poder.

2. O comunismo progride por procuração, isto é, utilizando-se de todas as espécies de organizações existentes, nas quais se infiltra, corrompe e usa para seus próprios propósitos. Uma vez cessada a utilidade daquela organização, a mesma deve ser destruída. Isso se realça na sua atitude para com a igreja. Mediante processos sutis de infiltração de idéias, educação de lideres, insinuação e intimidação, têm conseguido tornar muitas igrejas meros instrumentos de seu programa.

3. Nos casos em que não pode contratá-las e dirigi-las, o comunismo visa neutralizar as organizações e os governos, os quais :por isso mesmo devem ser implacavelmente opostos ao mesmo. Mediante a introdução de agentes em níveis elevados, da estupidificação de outros ainda, o comunismo influencia as orientações políticas dos governos, cria dissensões, e explora campos nacionais, e assim atinge o caos planejado que é tão essencial ao seu propósito.

 IV.            UM APELO A AÇÃO CRISTÃ

Devido ao perigo urgente da nossa situação como crentes, na vereda da conquista mundial pelo comunismo, apelamos aos crentes de todos os lugares a que se irmanem conosco no programa esboçado abaixo, sobre fé e ação cristã, confiando sempre no Soberano Pai de quem podemos receber a coragem e a sabedoria necessárias para enfrentar o opressor.

1. Orar incessantemente pedindo a proteção e o auxílio para todos aqueles que já caíram vítimas desse maligno sistema do comunismo.

2. Recusar-se terminantemente a cooperar com o comunismo ou apoiá-lo seja em que sentido for.

3. Reconhecer e admoestar todos os pró-comunistas que porventura existam nas igrejas, procurando, pela ajuda de Deus, levá-los ao completo arrependimento ou então a removê-los da igreja.

4. Separar-se do Concílio Mundial de Igrejas por causa de sua teimosa tolerância para com os pró-comunistas. Desde que esse programa foi escrito, o Concílio Mundial de Igrejas recebeu em seu rol de membros, virtualmente todas as igrejas controladas pelos comunistas, por detrás da Cortina de Ferro, e tem incluído em seu mais alto governo, em sua Comissão Central, cinco membros da Igreja Ortodoxa Russa de Moscou, incluindo o metropolitano Nikodim.

O professor Josef L. Hromadka, o defensor protestante número um do comunismo, que não vê mal algum em todo o comunismo, tem sido membro da Comissão Central desde sua formação, em 1948. E atualmente o seu assistente, Milan Opocensky, está fazendo uma visita a vários países do mundo convocando os cristãos para apoiarem e identificarem o marxismo com o Cristianismo.

O pronunciamento do Concílio Internacional de Igrejas Cristãs prossegue: Além disso, por causa de sua propaganda do «Reino de Deus» socialista, o qual promove e ajuda a causa do comunismo nas nações livres do mundo, exortamos os crentes a que se desliguem do mesmo.

5. Orar pela libertação da China, da Coréia do Norte, da Rússia, dos países satélites e agora adicionamos Cuba, Ghana, Zanzibar, e todos os países onde a dominação comunista parece estar próxima.

6. Manter e fortalecer a pureza da Igreja, em sua doutrina e vida, rededicando-nos à infinda tarefa da Igreja, que é a evangelização mundial, em obediência à Grande Comissão do nosso Senhor.

CONCLUSÃO
Nosso Senhor Jesus Cristo nos advertiu de que erros colossais tais como o comunismo viriam. Ele nos disse plenamente, e com terna advertência, que Satanás levaria até os próprios eleitos a caírem em terrível tentação por meio da ilusão; mas, nossa promessa segura é que Aquele cujas mãos feridas sustêm as chaves soberanas da vida e da morte, do Céu e do inferno está nos vigiando amorosamente. "Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça. e todas estas coisas vos serão acrescentadas". (Mateus 6:33)

Foi um marxista que assassinou o Presidente dos Estados Unidos da América, a 22 de novembro de 1963. Milhões de cristãos não entendem o marxismo, e parecem desconhecer a natureza de sua fé cristã. O marxismo saiu do abismo das trevas, e é uma criação do próprio Satanás para atacar o Deus Todo-poderoso. O Cristianismo bíblico é uma revelação sobrenatural vinda do Céu, e foi transmitida ao homem por meio das Escrituras Sagradas infalíveis, a fim de que possuíssemos a verdade e pudéssemos receber o Evangelho das boas novas, indo para nosso Lar com o Pai.



A luta titânica de nossa época está se ferindo entre o marxismo e o Cristianismo. Os crentes precisam prover a liderança que apele às nações livres do mundo para que não entrem em alianças com os Vermelhos, mas que, ao contrário disso, liderem uma campanha de esclarecimento que denuncia a todos a fraude do marxismo. Somente num regime de liberdade é que o Cristianismo pode propagar-se, e o crente, por isso mesmo, deve ser o maior campeão da liberdade. Por essa razão os crentes sempre têm sido os melhores patriotas.


Fonte: REVISTA TEOLÓGICA da Igreja Evangélica Luterana do Brasil

Ano: XXV - Porto Alegre 1964 N°1, p. 109-114
Casa Publicadora Concórdia S.A.

PERMISSÕES: Você está autorizado e incentivado a reproduzir, distribuir ou divulgar este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério, e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Leia Nossa Política de Comentários Termos de Uso


Dr. Carl McIntire


Avatar
Carl Curtis McIntire Jr. (17 de maio de 1906 - 19 de março de 2002), conhecido como Carl McIntire, foi um fundador e ministro da Igreja Presbiteriana da Bíblia, fundador e presidente de longa data do Conselho Internacional de Igrejas Cristãs. e o Conselho Americano de Igrejas Cristãs e uma emissora de rádio religiosa popular, que orgulhosamente se identificou como fundamentalista.