Por: Samuel Magalhães

I- Da Existência de Deus e de Suas Revelações

Moisés certa vez perguntou a Deus ([1]Yahweh) o seu nome, Yahweh respondeu dizendo “ego heimi ho ôn” [2] seguindo uma tradução mais erudita significa “Eu sou aquele que existo por mim mesmo” podemos definir que Deus é o “Eu sou” a plenitude de todas as coisas, o ser que existe por ele mesmo, ele é a causa que não teve uma causa, pois ele mesmo é a causa de tudo aquilo que existe, sendo que ele mesmo não teve causa alguma porque sempre existiu. Percebo que para nossa mente limitada, não é tão simples explicar este grande “mistério”, porém o não saber explicar, não altera aquilo que existe, da mesma maneira que um simples agricultor não entenda a realidade do crescimento de uma planta, porém ele ver o crescer dela, da mesma sorte não entendemos o “como” de Deus existir, mas, porém contemplamos com nossos olhos o seu movimento no nosso kosmos[3]. Deus sempre existiu mesmo antes da criação do mundo material como nos falou a palavra de Deus nos Salmos 90:2 “antes que os montes nascessem e se formassem a terra e o mundo de eternidade a eternidade, tu és Deus”.

Acerca disso quero também definir que o Deus verdadeiro não é “mãe natureza”, o único Deus criou o mundo, mas ele não é a natureza, ele é o criador de todas as coisas “Omnia per ipsa facta sunt: et sine ipso factum  est nihil, quod factum est”.[4] Em uma tradução pessoal poderia dizer “Tudo foi por ele e sem a sua ação nada que existe, poderia existir”. Deus é um Deus vivo, consciente, ativo ele  não é uma energia ativa como alguns pensam, esta noção de dizer que Deus é a natureza e a natureza é Deus chama-se Panteísmo, o único Deus verdadeiro que a Bíblia nos apresenta é um Deus que ver as nossas misérias, que conhece as nossas angústias, que ouve os nossos gritos, e que muitas vezes nos livra de situações ruins[5], um Deus que dialoga com a sua criação, em especial o homem; um olhar rápido pelas escrituras vocês irão ver Deus conversando com Adão e Eva o primeiro casal, com Caim o primeiro Assassino, passeando com Enoque, que por fim Deus o levou para o céu, com Noé, Abraão, Sara e por fim, vivendo conosco em Jesus que é para nós o Cristo (salvador) e Senhor (Kyrios)[6] sendo assim podemos perceber que Deus  não deve ser misturado com a sua criação como o credo dos apóstolos nos ensina “Creio em Deus Pai,Todo-Poderoso e criador do céus e da terra”.

Alguns também pensam que Deus realmente criou o mundo, porém quando terminou de criá-lo “fez as suas malas”, vamos dizer assim e foi embora, sendo que antes de sair criou algumas leis e deixou que as coisas andassem por si só, essa tese foi muito difundida principalmente na Inglaterra com o nome de Deísmo. Porém novamente devo dizer que esta ideia é falsa, pois segundo as Escrituras, Deus nunca abandonou o mundo, pelo contrário o próprio Deus continua sustentando todas as coisas em Jesus, como São Paulo nos deixa bem claro em sua carta à igreja de Colossos 1.16-17:

“Porque nele foram criadas todas as coisas, nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis: Tronos, Soberanias, Principados, Autoridades, Tudo foi criado por ele e para ele. É antes de Tudo e tudo nele subsiste”. [7]

Deus não foi embora amigo, pelo contrário se este mundo ainda existe é porque ele está alicerçado em uma grande Rocha e subsiste nele, uma analise de Hebreus 1:3 confirma esta ideia. Deus criou os mundos e ele cuida sempre dele para que ele não caia, os teólogos da Igreja chamam isso de [8]providência Divina, que pode se resumir que Deus está cuidando, preservando com suas mãos este pequeno mundo e como Jesus nos falou “ATÉ OS CABELOS DE VOSSA CABEÇA ESTÃO CONTADOS”.
Certa vez Agostinho[9] escreveu:

 “Quem me dera descansar em ti! Quem me dera que viesses a meu coração e que o Embriagasses, para que eu me esqueça de minhas maldades e me abrace contigo, meu único Bem! Que és para mim? Tem piedade de mim, para que eu possa falar. E que sou eu para ti, para Que me ordenes amar-te e, se não o fizer, irar-te contra mim, ameaçando-me com terríveis Castigos? Acaso é pequeno o castigo de não te amar? Ai de mim! Dize-me por tuas misericórdias, Meu Senhor e meu Deus, que és para mim? Dize a minha alma: Eu sou a tua salvação. Que eu Ouça e siga essa voz e te alcance. Não queiras esconder-me teu rosto. Morra eu para que possa Vê-lo para não morrer eternamente.”

Será que Agostinho ora com toda esta intensidade a “mãe natureza”? Será que ele ora a um Deus que sumiu que não gosta de ter relacionamento algum com o ser que ele criou? Vocês já devem ter percebido que somente um Deus pessoal, real, pode satisfazer os anseios mais profundos de uma alma em busca de Deus. Não consigo entender como existem pessoas que prefere falar com plantas que não vê, não fala, não ouve... do que com o único Deus verdadeiro que lhe criou? Que se agarra à arvores querendo receber energias que não sei de quem, do que se agarrar a Cristo com força e dizer-lhe “Senhor meu e Deus meu”? Quanta ingratidão meus amigos! Quanta ingratidão meus amigos! Porém permanece a sentença, o homem foi criado para Deus, e é impossível o homem ser feliz enquanto não voltar com todo o seu ser para o seu criador.

II- Deus se faz perceber dentro do homem que ele criou.

Meus amigos muitos dizem não acreditar em Deus, escrevem, discutem, procuram muitos crimes na igreja, dizem que não precisam de Deus para ser bons chamam-nos de assassinos, intolerantes, fanáticos, atrasos e uma série de outros nomes que não terei paciência nem muito menos tempo para descrevê-los, porém, é até engraçado mais o próprio Deus nas Escrituras chamou estes homens de “atheoin” que aportuguesada fica ateus que significa sem Deus, Deus chama os homens rebeldes e ímpios no mundo de “atheoin ên to kosmo” [10] Muitos deles nos falam prove-me que Deus existe? Neste estudo minha intenção não é “provar” que Deus existe, mais apenas para fortalecer a fé de alguns darei umas poucas evidências que Deus existe a começar dentro do homem.

1.      Sensus divinitus;[11]

Todo ser humano sente a sensação do divino, uma sensação de algo maior, uma atmosfera de Deus. Richard Baxter em seu clássico “O descanso dos Santos” um livro maravilhoso nos diz que Adão quando pecou, não perdeu apenas o paraíso do Éden[12], mais a maior tragédia do homem é que ele por ter cometido o pecado[13] ficou sem Deus no mundo, mais sentindo a falta do lugar dele dentro do seu ser, por isso que até uma criança fala com o papai do céu, e acima disso ele tenta preencher este espaço nos deuses, construindo babéis para chegar aos portais do céu com suas falsas religiões, crenças filosóficas que são apenas manifestações de seu desespero e da sua ignorância, sendo assim meus amigos posso, ou melhor, devo dizer que todo homem carrega dentro as ‘’sementes da religião ’’.

2.  Semen religiósus[14]

Todo ser humano necessita de adorar algo, ele carrega dentro de si “sementes do sagrado”, toda saga da humanidade gira em torno de se encontrar com o Deus verdadeiro, e quando ele não o acha (porque Deus é invisível) ele passa construir coisas vãs para substituir a Deus, ou seja, a prestar culto ao falso. Dentro do grego existe a palavra “eidólolatreía” e no latim “ídólolatría” que em seu sentido mais simples é um culto, um serviço prestado a imagem, onde o ser humano deixar o único Deus verdadeiro e volta para o engano concebido por sua mente incapaz de julgar, mas as Escrituras deixam bem claro que “No principio criou Deus os céus e a terra”. Meus amigos que ofensa é deixar o único Deus verdadeiro e afrontá-lo adorando qualquer outra coisa que não seja Deus[15] “Shemá Yisrael Há Adonay Ha Elohim há Echad Adonay” Devemos nos lembrar dos primeiros mandamentos[16] que nos trazem o conhecimento do Único Deus verdadeiro olha o que Yahweh nos diz em Deuteronômio 5.35,39:

“Yahweh é o único Deus, além dele não existe outro... Portanto reconhece hoje e medita em teu coração: Yahweh é o único Deus, tanto no alto do céu, como cá embaixo, na terra. Não existe outro”.
Por isso meus amigos vocês devem abandonar os ídolos, os falsos deuses, e buscar o único Deus verdadeiro por que se vocês não acreditarem que somente existe um salvador vocês morrerão em vossos pecados como o Bom Jesus nos ensinou no Evangelho de João 8:24 - "Disse-vos que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que Eu Sou, morrereis em vossos pecados”.

3- Cognitio Dei Insita

Por mais que o ser humano queira negar a existência de Deus, seria impossível apagar Deus do nosso coração[17], por mais que muitas vezes somos tentados por nossa dureza de coração a nos “esquecer de Deus”, não estou dizendo que Deus esteja dentro (id extra) do coração depravado do ser humano, Gênesis 6:5[18] não aceita esta concepção de que Deus habita dentro de um coração não santificado a Ele. Porém quando falo de “Cognitio Dei Insita” (conhecimento de Deus enxertado) Estou dizendo que todo homem tem um conhecimento da existência de Deus, por que Deus abriu um buraco dentro do coração do homem e colocou um conhecimento de existir um ser maior, o homem sabe que veio de Deus, mas isto não significa que este conhecimento por si mesmo, seja capaz de conduzir o homem ao Deus verdadeiro uma rápida analise de aos Efésios 4:17-19[19] traz um retrato de como é o homem que não tem conhecimento verdadeiro de toda plenitude da revelação do mistério do Evangelho de Cristo no v. 17 Paulo fala para a igreja em Éfeso que eles não deviam andar como os gentios andam na “vaidade de suas mentes”, ou seja, na sua forma distorcida de enxergar a verdade de Deus eles andam “delirando” vendo coisas que não existem, acreditando em coisas que parece ser sabedoria, mas é uma ilusão criada, ainda que o delírio tenha elementos de verdades, mais não passa de uma distorção da realidade. Ele prossegue dizendo no v. 19 que eles estão entenebrecidos, ou seja, suas mentes estão presas em uma grande escuridão e incapazes de ver a luz, sendo que eles estão separados da “vida de Deus”, pois não há vida sem o verdadeiro conhecimento de Deus sendo que eles ainda têm um coração “duro” que odeia a mensagem da luz, "erat ille Lux veritas quae illuminitat omni hominem[20]” no caso Cristo, além disso, no v. 20 Paulo diz que mesmo eles tendo o conhecimento da existência de um Deus verdadeiro, isto não os conduziu a piedade, pelo contrário eles se recusaram a procurar a este, antes se entregaram ao pecado “perderam todo o sentimento”, ”entregaram-se á dissolução”, “para com avidez cometerem todo tipo de impureza’’.

Diante desse quadro o que merece a humanidade que sabe que Deus existe, mais prefere permanecer no seu delírio a procurar a conhecer a Deus? Romanos 1:18 respondem a este questionamento “porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade prisioneira da injustiça”. Isto mesmo a ira, o verdadeiro Evangelho deixa bem claro que existe uma ira a vir do céu sobre aqueles que se esquecerem de Deus. Talvez então você me pergunte então qual a finalidade desse conhecimento enxertado? Muitas, deixar bem claro para você que existe um Deus verdadeiro a ser conhecido, pois você foi feito, para ele, e para glória dele como diz Romanos 11:36 “Porque dele, por meio dele, e para ele são todas as coisas, a ele seja toda a glória!” Agostinho[21] escreveu em suas confissões algo bastante interessante acerca disso:

“E como invocarei meu Deus, meu Deus e meu Senhor, se ao invocá-lo o faria certamente dentro de mim? E que lugar há em mim para receber o meu Deus, por onde Deus desça a mim, o Deus que fez o céu e a terra? Senhor haverá em mim algum espaço que te possa conter? Acaso te contêm o céu e a terra, que tu criaste, e dentro dos quais também criaste a mim? Será, talvez, pelo fato de nada do que existe sem Ti, que todas as coisas te contêm? E, assim, se existo que motivo pode haver para Te pedir que venhas a mim, já que não existiria se em mim não habitásseis? Ainda não estive no inferno, mas também ali estás presente, pois, se descer ao inferno, ali estarás.   Eu nada seria, meu Deus, nada seria em absoluto se não estivesses em mim; talvez seria melhor dizer que eu não existiria de modo algum se não estivesse em ti, de quem, por quem e em quem   existem   todas   as   coisas?   Assim   é,   Senhor,   assim   é.   Como,   pois,   posso   chamar-te   se   já estou em ti, ou de onde hás de vir a mim, ou a que parte do céu ou da terra me hei de recolher, para que ali venha a mim o meu Deus, ele que disse: Eu encho o céu e a terra?”.

III- Revelação Natural, Extraordinária e o Testemunho da Consciência

1. Revelação natural

Deus pode ser percebido claramente pelas obras da criação, uma rápida analise de Romanos 1: 19,20[22] deixa bem claro que Deus podemos deduzir através daquilo que existe (um axioma, uma verdade evidente por si mesma) que existe um ser sábio, que tenha todo o poder, somente ele pode ser a causa adequada para todas as coisas como definiu o nobre Anselmo de Cantuária onde ele define que Deus é “primum mottus” Deus é a primeira peça vamos dizer assim que move todas as outras. A Bíblia deixa isso bem claro que Yahweh criou o mundo através da sua palavra (o verbo). Analise comigo o Gênesis 1. “No principio criou Deus os céus e a terra” (v.1) primeiro o ateísmo já é destruído “Deus criou”, o panteísmo já é agredido, pois um Deus racional criou a “natureza” ele não é confundido com as suas criaturas, à medida que você lê o capitulo primeiro você verá Deus criando um universo “ex nihilo” (do nada), não existia nada a não ser Deus estando nele mesmo, não existia matéria, tempo (como concebemos) e muito menos espaço, não havia nada a não ser Deus, em um dado momento Deus começou a criar algo, vou traduzir melhor gênesis 1:1-2 “No principio quando Deus começou a criar os céus e a terra, a terra era sem forma e “inanis” (vazia, caótica) e um grande sopro de Deus, agitava as águas causando grandes ondas” Geralmente pensamos que o mundo foi feito em seis dias literais mais esta noção é um tanto equivocada, dia na língua hebraica é Yom[23], ou seja, Deus começou a criar mais ele deixou aquela criação em um estado caótico por um período indeterminado de tempo, pois Deus ainda não havia criado o tempo, era apenas escuridão, águas, ondas, ou seja, um grande caos, porém a palavra “céus” está no plural, ou seja, Deus está falando também da criação de um mundo espiritual, aqui entra os anjos com todas as suas divisões. Até Ele continuar depois de um período a sua criação ele Disse: (Fiat lux) Haja luz (v.3), e a luz passou a existir, porém um bom leitor verá que Deus aqui não está criando o sol, pois ele criou o sol e a luz nos versículos 14-19, podemos ver que esta “luz” dentro de um hebraísmo foi criada por Deus com o nome de shekináh “a glória de Yahweh” por isso as Escrituras fala que Deus habita na luz inacessível (ou seja, na luz criada por ele mesmo).

Para resumir, o amigo(a) a esta altura já deve ter visto que Deus criou tudo que existe inclusive esta criação revela naturalmente que Deus criou o mundo logo, se o mundo existe, ele existe porque Deus o criou. Isto é a Revelação[24]porém, extraída da criação, ou seja, natural.[25] Gostaria de citar um texto do John Wesley [26] que acredito que venha clarificar o entendimento do leitor:


 “O mundo ao redor de nós é o poderoso volume onde Deus se Revelou. As línguas e os caracteres humanos são diferentes nas Diferentes nações. Os de uma nação não são entendidos pelo resto. Mas o livro da natureza foi escrito em caracteres universais e Qualquer homem pode lê-lo na sua própria língua. Ela não consiste De palavras, mas de coisas que pintam as perfeições divinas. O Firmamento estendido sobre todas as partes com toda a sua multidão De estrelas declara a imensidade e a magnificência, o poder e a Sabedoria do seu Criador. O trovão, o relâmpago, as tempestades, os Tremores de terra e os vulcões mostram o terror da sua ira. A chuva, na sua estação própria, a luz solar e a colheita mostram a sua abundância e bondade e demonstram como ele abre a sua mão e enche Todas as coisas de abundância. O constante suceder de gerações de Plantas e de animais implica a eternidade da sua causa primeira. A Vida subsistindo em milhões de formas diferentes mostra à vasta Difusão do seu poder animador e a morte indica a infinita Desproporção entre ele e todas as coisas vivas. Mesmo as ações dos animais são uma linguagem eloquente e patética. Aqueles que querem o auxílio do homem encontram mil modos prometedores, os quais como a voz de Deus falando ao seu coração, os comandam a preservá-los e a acariciá-los. No entanto os movimentos ou olhares daqueles que lhes podem fazer mal os aterrorizam e os avisam quer para que fujam ou se armem contra Eles. Assim todas as partes da natureza nos conduzem ao Deus da natureza”.[27]

2.  Revelação extraordinária

Porém esta revelação natural como já citei não é capaz de salvar o homem pecador ele precisa do conhecimento especial de Deus que são a revelação extraordinária procedente das Escrituras, por isso temos que afirmar que a revelação natural é necessária mais ela somente não conduz o homem ao Deus verdadeiro, pois é impossível conhecer a Deus sem a Palavra de Deus Revelada. Gosto das Palavras dos velhos puritanos de Westminster:

“A própria luz da natureza no espírito do homem e as obras de Deus claramente manifestam que existe um Deus; porém, só a sua Palavra e o seu Espirito O revelam de um modo suficiente e eficaz aos homens, para a sua salvação”. [28] (Leia 1Corintios 2:9-10 e 2Tm 3:15-17)

Paulo escrevendo aos Romanos deixa isso bem claro no capitulo 10:17 que a fé que salva vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus, não devemos nos enganar, somente a Palavra de Deus pode conduzir o homem ao conhecimento verdadeiro de Deus; Cristo disse “Examinais as Escrituras porque cuideis ter nela a vida eterna”; ele orou por seus discípulos dizendo “pai santifica os na verdade, a tua palavra é a verdade”. Agostinho de Hipona certo dia estava com o Novo Testamento sentado, não estava lendo de repente ele viu umas crianças cantando “tolle, legge” (tome e leia) ele viu que estava com o Novo Testamento nas mãos, abriu a Bíblia em Romanos 14 e se encontrou com Deus e foi salvo, Jerônimo certa vez escreveu: “Nas páginas das Escrituras encontra-se o Senhor, ignorar as Escrituras é ignorar a Cristo”. Meu bom amigo, estou preocupado com a sua alma, por isso eu lhe rogo, estude as Escrituras, estude-a, para que você seja salvo encontrando-se com o único Deus verdadeiro, pois como Jesus disse “do que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” "Tolle, legge”!

Necessito mais uma vez citar o bom John Wesley[29]

“Há quatro argumentos grandes e poderosos que nos induzem Fortemente a crer que a Bíblia precisa ser de Deus: os milagres, as Profecias, a bondade da doutrina e o caráter moral dos escritores. Todos os milagres fluem do poder divino; todas as profecias, da Compreensão divina; a bondade da doutrina, da bondade divina, e o caráter moral dos escritores, da santidade divina. De modo que o Cristianismo é construído sobre quatro grandes Pilares: o poder, a compreensão, a bondade e a santidade de Deus. O Poder divino é a fonte de todos os milagres; a compreensão divina, a de todas as profecias; a bondade divina, a da bondade da doutrina; a Santidade divina, a do caráter moral dos escritores. Peço licença para propor um argumento curto, claro e forte para provar a inspiração divina das Sagradas Escrituras. A Bíblia deve ser a invenção de homens bons ou de anjos; de Homens maus ou de demônios; ou de Deus. 1 - Ela não podia ser a invenção de homens bons ou de anjos, pois eles não fariam nem poderiam fazer um livro contando mentiras durante todo o tempo em que o estavam escrevendo, dizendo: "Assim Disse o Senhor” quando o livro era a sua própria invenção. 2 - Ela não podia ser a invenção de homens maus ou de demônios, pois eles não fariam um livro que impõe todos os deveres, proíbe todos os pecados e condena as suas almas ao inferno por toda a eternidade. 3 - Eu tiro, portanto a conclusão de que a Bíblia precisa ter sido dada pela inspiração divina”.

Meu bom amigo mais na frente entrarei de forma aprofundada no conceito de “Sola Scriptura”. Mais pelo menos por enquanto fixe na sua mente que você precisa acreditar em todas as Escrituras para chegar aos céus; existem muitas pessoas que lê as Escrituras mais apenas acredita naquilo que eles desejam, se você estiver fazendo isso caro amigo, saiba que você está ofendendo a Deus, pois a Bíblia é a voz de Deus (Vox Dei) e não acreditar nela é zombar de Deus, rir de Cristo e ofender o bondoso Espírito Santo que guiou aqueles que o escolheu, dando o seu conhecimento.

3. Do Testemunho da consciência

Mesmo sendo pecadores, dentro de nós ainda restou um pouco da lei interior que Adão antes do pecado tinha, toda plenitude da lei de Deus habitava em Adão, ele era bom. Porém depois da queda restaram apenas pequenos traços da grandeza anterior antes do pecado. Não havia desejos impuros, não havia conflitos, a razão e a vontade era unânime, porém o pecado enfraqueceu o caráter do homem, e restam poucas coisas de Deus no homem, sendo aquilo que chamamos de “bom”, “ruim”, “certo”, “errado” são resquícios de um grandioso edifício caído, que quando passeamos entre ele, podemos perceber que o edifício era maravilhoso, mas agora restam poucas coisas daquela grandiosidade dantes conhecidas. Como Roberth Sourth[30] nos fala que um Aristóteles é apenas um lixo de Adão, e Atenas os rudimentos do paraíso. Porém a consciência mesmo enfraquecida ainda testemunha as leis do legislador, independente do lugar do globo terrestre a consciência do homem o perturba[31] quando ele faz algo errado, pois ele sabe que aquilo não é certo, mas como ele tem esta noção? Simples, de Deus no primeiro homem que foi criado “Imago Dei” (imagem de Deus), porém quando o homem pecou esta “imago Dei” foi borrada no homem, por isso a capacidade de viver segundo a sua consciência é quase nula, mais esta consciência que restou ainda evita e restringe muitos males como Voltaire certa vez disse: “Si Dieu riexistait pás, Il foudrait vinventer” [32]Sendo assim da boca dos próprios pagãos extraímos materiais que confirma a lei moral de Deus e sua necessidade para a humanidade, como extraímos dessa confissão de Voltaire, pois ele vê Deus como fundamento da ordem e da moral e ausência de suas leis com certeza iria gerar um caos, aproveitando a brecha gostaria de recomendar uma excelente obra de Voltaire “Jenni” lhe garanto que esta obra contribuirá de uma maneira significativa para os seus conhecimentos, pois Voltaire apresenta um diálogo muito proveitoso de uma grande história que gira em torno da doutrina da existência de Deus, da sua providência onde acontece um debate fictício de um doutor em Teologia com um ateu.
                                                                                         
------------------------------------------------------------------------------------

Programa de Discipulado


[1] Yahweh (YHWH): prefiro chamar Deus de Yahweh a “Senhor, Jeová” acredito que ele chega mais perto de uma definição mais pessoal de Deus.
[2] Veja êxodo 3:13-14. Hebraico ‘ehyeh ‘asher ‘ehyer’.
[3] Significa mundo, natureza, Planeta, dependendo do contexto onde se aplica.
[4] Evangelho de João 1:3 Vulgata latina.
[5] Veja Êxodo 3:7-11.
[6]  Por isso a igreja cristã em seus séculos passados cantou “Kyrie eleison, Kristie eleison...”
[7] Bíblia de Jerusalém, edições Paulinas. 5 impressão 2008.
[8] Cremos que tudo o que há no céu e na terra, e em todas as criaturas, é preservado e governado pela providência deste Deus sábio, eterno e onipotente. Davi o testifica e diz: “Excelso é o Senhor acima de todas as nações, e a sua glória acima dos céus. Quem há semelhante ao Senhor nosso Deus, cujo trono está nas alturas; que se inclina para ver o que se passa no céu e sobre a terra?” (Salmos 113:4ss). Outra vez: “Esquadrinhas... todos os meus caminhos. Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, Senhor, já a conheces toda” (Sal 139, 3 ss). São Paulo também testifica e declara: “Nele vivemos, e nos movemos, e existimos” (At 17, 28), e “dele e por meio dele e para ele são todas as coisas”. (Romanos 11: 36). Portanto Santo Agostinho, muito acertadamente e segundo a Escritura, declarou em seu livro De Agone Christi, cap. 8: “O Senhor disse: ‘Não se vendem dois pardais por um asse? e nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai’ ” (Mateus 10:29). Assim falando, ele quis mostrar que aquilo que os homens consideram de valor insignificante é governado pela onipotência de Deus. Porquanto aquele que é a verdade diz que as aves do céu são alimentadas por ele e os lírios do campo são vestidos por ele; e diz também, que os cabelos de nossa cabeça estão contados (Mateus 6:26). Confissão Helvética, 1562 por Heinrich Bullinger.
[9] Santo Agostinho de Hipona, Confissões, Livro I, capitulo V.
[10] ê"  “Sem Deus no mundo.”
[11] Que existe na mente humana, e na verdade por disposição natural, certo senso da divindade, consideramos como além de qualquer dúvida. Ora, para que ninguém se refugiasse no pretexto de ignorância, Deus mesmo infundiu em todos, certa noção de sua divina realidade, da qual, renovando constantemente a lembrança, de quando em quando instila novas gotas, de sorte que, como todos à uma reconhecem que Deus existe e é seu Criador, são por seu próprio testemunho condenados, já que não só não lhe rendem o culto devido, mas ainda não consagram a vida a sua vontade. (João Calvino, As Institutas - livro I, Capitulo III, Tomo I).

[12] Éden no hebraico seria “delicias” que podemos chamar também de um paraíso, ou seja, Deus havia criado um jardim de delicias para o homem viver nele, porém depois que ele se tornou rebelde a Deus de lá foi expulso. (Vide Gênesis 2: 8-17)

[13] Pecado dentro do grego koiné é “hamártia” significa errar o alvo, como um arqueiro que atira a flecha, mas não acerta o local esperado, ou seja, o homem saiu do projeto original de Deus. Prefiro usar a definição do latim “pecattum” “Crime, transgressão, delinquência”, ou seja, o homem depois que cometeu o peccatum tornou-se um delinquente que odeia com todo o seu ser, o Grande Juiz com todas as suas leis. Por isso a não ser que ele receba uma nova natureza, será para sempre um criminoso e terá que prestar contas ao juiz. (Vide Apocalipse 20:11-15).

[14] Certamente, se em algum lugar se haja de procurar ignorância de Deus, em nenhuma parte é mais provável encontrar exemplo disso que entre os povos mais retrógrados e mais distanciados da civilização humana. E, todavia, como o declara aquele pagão, não há nenhuma nação tão bárbara, nenhum povo tão selvagem, no qual não esteja profundamente arraigada esta convicção: Deus existe! E mesmo aqueles que em outros aspectos da vida parecem diferir bem pouco dos seres brutos, ainda assim retêm sempre certa semente de religião. Tão profundamente penetrou ela às mentes de todos, que este pressuposto comum se apegou tão tenazmente às entranhas de todos! Portanto, como desde o princípio do mundo nenhuma região, nenhuma cidade, enfim nenhuma casa tenha existido que pudesse prescindir da religião, há nisso uma tácita confissão de que no coração de todos jaz gravado o senso da divindade. (João Calvino, As Institutas - livro I, Capitulo III, Tomo I)

[15] “Ouve, Yisrael, Yahweh é nosso Deus, Yahweh somente”. Tradução Alternativa. (Vide Deuteronômio 6:4)
[16] Vide os primeiros mandamentos em Êxodo 20:1-7.
[17] Isto, sem dúvida, será sempre evidente aos que julgam com acerto, ou, seja que está gravado na mente humana um senso da divindade que jamais se pode apagar. Mais: esta convicção de que há algum Deus não só é a todos ingênita por natureza, mas ainda que lhes está encravada no íntimo, como que na própria medula, que a contumácia dos ímpios é testemunha qualificada, a saber, lutando furiosamente, contudo não conseguem desvencilhar-se do medo de Deus. (João Calvino, As Institutas - livro I, Capitulo III, Tomo III)
[18] “Yahweh viu que a maldade do homem era grande sobre a terra, e que era continuamente mau todo o desígnio de seu coração” (Bíblia de Jerusalém).
[19] Bíblia da Sociedade Bíblica Trinitariana, textus receptus.
[20] IBID João1: 9
[21] Santo Agostinho de Hipona, Confissões Livro I, Capitulo II.
[22] Porquanto o que de Deus pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhe manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria Divindade, claramente se reconhecem, desde o principio do mundo, sendo percebidos por meios das coisas que foram criadas. Tais homens são por isso indesculpáveis (Romanos 1:19,20).
[23] Yom significa dia, mas pode também significar períodos, não devemos enxergar aqui dia como concebemos no Brasil, dia de 24 horas.
[24] Revelatìo, ónis 'ação de descobrir, de desvendar; revelação (de um segredo).
[25] Lat. Naturális, e 'feito’ ou dado pela natureza.
[26] John Wesley foi um clérigo anglicano do século XVII que, com George Whitefield, Daniel Rowalands, começara um grandioso movimento missionário conhecido como Metodismo.
[27] Coletânea da Teologia de John Wesley.
[28] O Catecismo Maior de Westminster, 2ª Pergunta Donde se infere que há um Deus?, Cultura Cristã, 2008, São Paulo.
[29] Obras: "Demonstração Clara e Concisa da Inspiração Divina Das Sagradas Escrituras “(XI 478-79).

[30] Acerca desse capítulo indico a leitura do sermão do Anglicano Roberth Sourth com o tema “O Homem Criado Segundo a Imagem de Deus”.
[31] Ainda que Diágoras, e tantos como ele, através de todos os séculos, zombeteiramente motejem de tudo quanto diz respeito à religião, e como Dionísio tem ridicularizado o juízo celeste, esse não passa de um riso sardônico, pois que em seu interior o verme da consciência rói mais pungente que todos os cautérios. (João Calvino, As Institutas Livro I, Capítulo I, Tomo III)
[32] “Se Deus não existisse, precisaríamos inventá-Lo”.


PERMISSÕES: Você está autorizado e incentivado a reproduzir, distribuir ou divulgar este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério, e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


Samuel Magalhães


Avatar
Samuel Carneiro Magalhães é militar lotado na Marinha do Brasil, Enfermeiro e terapeuta holístico. Tem Graduação em Teologia pela Universidade Luterana do Brasil. É também graduado em Enfermagem pelo Instituto de Ensino Superior de Minas Gerais com aperfeiçoamento em Reiki I e II, fitoterapia e em Florais de Bach. Além de Ensino Profissional de nível técnico, complementação técnica em Enfermagem.