É inquestionável o valor da contribuição prestada pelo leigo para o seu contexto eclesiástico. Apesar de ele não estar nos processos bem elaborados, nem nas estruturas consagras do circuito teológico, produz uma leitura teologal que tem por meio e fim a comunidade.
Apesar de o leigo tornar a Teologia mais acessível ao povo, sabe-se que sua produção teológica possui falácias. Falhas estas que, em sua grande maioria, fundamentam-se no fato do laico não elaborar sua teologia de forma lógica, mas antes, confina suas interpretações teologais nos problemas cotidianos e na releitura emotiva das Escrituras. Entre outros pontos falaciosos provenientes do despreparo teológico, destaco aqui os seguintes:

  • Em virtude da Teologia do leigo não consistir na busca sistemática do saber organizado, inevitavelmente conduz muitos a errôneas interpretações da Bíblia;


  • Com um alto índice de ocorrência, a Teologia proposta pelo leigo nasce na liturgia e para a liturgia. Por isso, cria sua própria linguagem e se distancia da sistematização bíblica;


  • Suas propostas tornam as pessoas presas fáceis de falsos líderes, que, na verdade, não passam de aventureiros da fé, ou mesmo as tornam perigosos fanáticos religiosos.

PERMISSÕES: Você está autorizado e incentivado a reproduzir, distribuir ou divulgar este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério, e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Leia a Política de Comentários do Blog Leia os Termos de Uso do Blog



Maique Borges


Avatar
Maique de Souza Borges, é um teólogo autodidata, estudante e amante da música sacra. Com o intuito de proclamar as Boas Novas, e convidar os brasileiros para voltarem à centralidade da Palavra de Deus, criou o blog Cooperadores do Evangelho. É casado com Poliana Borges e é o pai do Miguel.