Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja

Romanos 13:13




Hoje falaremos um pouco sobre um assunto que tem causado muitos problemas na nossa atual sociedade, inclusive, dentro da igreja: Masturbação, é ou não é pecado?

Trataremos de assuntos, que na grande maioria das vezes, trazem dúvidas a muitas pessoas, principalmente aos cristãos, por se tratarem de assuntos relacionados a condutas e diretrizes dadas pela Bíblia Sagrada.
Antes de mais nada, iniciando o debate sobre o tema proposto, ou seja, "Masturbação é Pecado?", iremos abaixo colocar sua definição e algumas crenças existentes de muitas outras civilizações, deixando grifado em vermelho, algumas informações as quais considero importantes.


Masturbação

Definição extraida de: Wikipédia

masturbação é o ato da estimulação dos órgãos genitais, manualmente ou por meio de objetos, com o objetivo de obter prazer sexual, seguido ou não de orgasmo, sendo uma prática sexual não-penetrativa. Podendo ser autoaplicada, quando o que promove a estimulação é o mesmo que a recebe ou pode ser aplicada a uma pessoa diferente, quando o que promove a estimulação o promove em outro.
Na Grécia Antiga, de imoralidade sexual muito livre comparada à Ocidental atual, a masturbação era um ato sexual usual e aceito como natural.
No Antigo Egito a masturbação era uma prática coletiva feita em santuários de adoração as divindades como o Atum e as mulheres quando morriam eram mumificadas com os objetos fálicos utilizados por elas, uma espécie de vibrador de argila.
Os Maias também possuíam rituais de masturbação e desenhavam esses rituais em pedras que são encontradas hoje em ruínas.
Os Indianos tinham a crença de que a masturbação acarretava perda de energia vital e evitavam a prática para se sentirem mais fortes.O esperma era considerado o elixir da vida e deveria ser conservado dentro do corpo o maior tempo possível. Essa crença se deve a substância cadaverina presente tanto no esperma como na putrefação de cadáveres, dando a estes aromas semelhantes. Veio daí a crença de que a masturbação deixa as pessoas fracas e poderia levá-las até a morte. Nesse contexto se desenvolveu o sexo tântrico e a masturbação tântrica.
No Império Romano, era comum o homem se masturbar horas antes da relação sexual para retardar a ejaculação no coito com a parceira. Esta prática é indicada até hoje para o tratamento de ejaculação precoce.
Com a chegada da cultura judaico-cristã no Ocidente, iniciou-se um processo de repressão, por motivos morais e religiosos. Nomeadamente, o desperdício voluntário de esperma (ou sêmen) era pecado grave, punido, algumas vezes, até com pena de morte. Este fenómeno teve dois grandes responsáveis: a Igreja Católica e a Medicina.
A Igreja Católica, através do teólogo São Tomas de Aquino, classificou-a como um pecado contra natureza, mesmo pior do que incesto. Ele se baseava na interpretação da narrativa do Antigo Testamento sobre Onã. A descoberta do espermatozóide, em 1677, motivou a Medicina a se associar à Igreja Católica para qualificar a masturbação como uma doença abominável e um mal moral, uma vez que o espermatozóide veio a ser considerado como um bebé em miniatura.
A repressão da masturbação foi, consequentemente, a regra nos Séculos XVII a XIX. Era vista como uma doença que provocava distúrbios do estômago e da digestão, perda do apetite ou fome voraz, vómitos, náuseas, debilitação dos órgãos respiratórios, tosse, rouquidão, paralisias, enfraquecimento do órgão de procriação a ponto de causar impotência, falta de desejo sexual e ejaculações nocturnas e diurnas.Em 1758, Samuel Auguste Tissot publica o "Ensaio sobre as doenças decorrentes do Onanismo", em que diz que esta doença ataca os jovens e libidinosos e, embora comam bem, emagrecem e consomem seu vigor juvenil.
O peso histórico da carga negativa e pecaminosa desta atividade ainda existe nalgumas pessoas, inibindo-as da vivência plena da sua sexualidade ou mesmo atrofiando o seu natural desenvolvimento psicossexual. Atualmente, o novo Catecismo da Igreja Católica classifica-a de "desordem moral" a ser vencida pelo crente. O ato é ainda é condenado pelas religiões evangélicas.


   
Observamos com o texto acima, que a masturbação é tema de discussão há muitas centenas de anos. Algo que já tirou o sono de muitos estudiosos do assunto, e ainda nos dias de hoje, é centro de debate de toda sociedade.
Mas o que a Palavra de Deus nos diz sobre este assunto? O que nós, como verdadeiros cristãos e seguidores das palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, devemos pensar sobre o assunto?

Ao analisarmos a princípio, o texto bíblico usado no início desta mensagem, que está no Livro de Romanos, capítulo 13, versículo 13, poderemos ver claramente que Paulo nos diz, logo em suas primeiras palavras, que devemos nos comportar com decência, como quem age a luz do dia. E quando Paulo especifica "à luz do dia" quer nos falar de algo que possa ser feito sem culpas ou vergonha. De algo que possa ser feito na presença de outras pessoas, sem que macule a imagem daquele que o faz. Neste trecho específico, interessante nos fazermos uma pergunta... O ato de masturbação poderia ser feito à luz do dia? O ato de masturbação é algo do  qual sentiríamos vergonha, se alguém o descobrisse? Perguntas que, dependendo de nossa resposta, deixaria-nos alerta quanto a legalidade ou não deste ato.

Paulo ainda não satisfeito apenas com sua primeira citação quanto a decência, vai mais além e nos fala que o comportamento cristão, decente, não pode ocorrer "imoralidade sexual e depravação".

Vamos então para a definição correta das 3 palavras usadas por Paulo, para indicar uma pessoa indecente:

1. IMORALIDADE SEXUAL: Segundo o Dicionário Aurélio, imoralidade é tudo que vai de encontro com a moral e bons costumes. No que tange o ato sexual, é tudo aquilo que distorce a lei natural do sexo, que faz do sexo algo promíscuo e indecente.

2. DEPRAVAÇÃO: Segundo a Wikipedia, depravação é um termo para designar pessoas com comportamento sexual obsessivo. Pessoas depravadas adquirem fascínio pelo ato sexual e se tornam obsessivas modificando sua conduta e tornando-se mentalmente instáveis. É também maior a exposição de doenças sexualmente transmissiveis nessas pessoas.

No meu ponto de vista, ao analisarmos os dois termos usados pelo Apóstolo Paulo e suas específicos conceitos, muito se assemelham estes temos, ao ato de masturbação. Tanto pelo fato deste ato ir de encontro à moral bons costumes (imoralidade), quanto ao fato dele se tornar, ao longo do tempo, um comportamento sexual obsessivo, como bem é definida a depravação.

Indo mais além, considero o ato de masturbação algo que causa uma dependência, um vício, na constância que o mesmo é realizado. Algo que pode começar como uma simples "válvula de escape" como muitos se defendem, torna-se algo contínuo e cada vez mais constante na vida daquele que o faz. Não precisamos ser doutores no assunto, para sabermos que algo que dá prazer, consequentemente, tornar-se-á um senhor da nossa vida o ponto que ficaremos escravos deste desejo carnal.

Muitos Pastores, ao longo de suas jornadas ministeriais, principalmente nos aconselhamentos pastorais, deparam-se com uma realidade triste e cada vez mais constante. Relatam que são procurados por muitos casais, queixando-se da falta de prazer no ato sexual. E uma incrível constatação é que em 80% dos casos atendidos com esta reclamação, o fator responsável pela diminuição ou mesmo ausência de prazer, é a presença da masturbação anterior ao casamento ou mesmo durante.

Nós, melhores do que qualquer pessoa, conhecemos nosso corpo e sabemos exatamente os mecanismos pessoais para se atingir o prazer ou mais conhecido como clímax. 

As mulheres, tanto fisiologicamente, quanto anatomicamente, possuem uma maior dificuldade, em atingir seu clímax ou orgasmo. Em comparação ao homem, que tende a chegar nesse estágio com muito mais agilidade e facilidade.

A masturbação faz com que o homem e a mulher tenham um orgasmo mais rápido e eficiente, o que inevitavelmente, quando casarem e tiverem relações sexuais com seus parceiros, poderão sofrer sérias frustrações, tendo em vista o não conhecimento pleno do corpo alheio.

Uma saída para muitos casais, segundo pastores e orientadores, é a conversa e o diálogo. Fazer com que seu cônjuge conheça suas necessidades e descobrindo-se com o tempo, de acordo com o desenvolvimento sexual do casal, o que é mais prazeroso na relação.

O Evangelista Mateus, em seu capítulo de número 5, nos versículos 28, 29 e 30, é enfático em nos mostrar e ensinar acerca do que é correto quanto a atitude de um cristão. Vejamos abaixo:

"Mas eu lhes digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração; Se o seu olho direito o fizer pecar, arranque-o e lance-o fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno; E se a sua mão direita o fizer pecar, corte-a e lance-a fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ir todo ele para o inferno"

Observem que Mateus dá-nos uma perspectiva bem detalhada, de como agirmos para não pecarmos em pensamento. Afirma que se apenas olharmos para alguém com desejo, já cometemos adultério (caso sejamos casados) ou fornicação (caso sejamos solteiros). Deixa ainda mais enfático e sério o citado, quando nos exorta a cortarmos fora aquilo que nos faz entrar em pecado e consequentemente, estarmos fora do plano de salvação de Deus. 

Nesta parte, entro para mais uma vez indagar sobre o tema em lide. O ato de masturbação é realizado com a mente limpa? sem pensamentos? É algo mecânico que não pensamos em absolutamente nada? Ou... para que o ato de masturbação, tenha êxito em seu propósito, ou seja, dar prazer, necessariamente o autor deve trazer à memória, cenas e imagens que venha a excitá-lo? Trazer à mente, situações anteriormente vividas com outras partes, ou mesmo, vislumbrar cenas que nem mesmo existiram, pensando em pessoas que sequer conhece, ou se conhece, não fazem parte de seu relacionamento conjugal ou íntimo? O indivíduo que assim age, não estaria ferindo diretamente a Palavra de Deus, nas citações do Evangelista Mateus? É algo a ser pensado e repensado.

Um estudo realizado pelos principais institutos de psicologia cristã dos EUA, chegaram a  conclusão que a masturbação está intimamente ligada a um dos piores males da sociedade moderna, ou seja, a pornografia. Em     quase 90% dos casos de masturbação, o autor usa cenas e imagens vistas em filmes e revistas pornográficas, principalmente em sites de internet.

É importante aqui, fazer uma abordagem breve sobre as implicações que a evolução tecnológica veio proporcionar. De maneira alguma condeno a internet, pois é justamente através dela que esta mensagem está chegando até você. No entanto, satanás sabendo da facilidade que este meio de comunicação tem, para atingir milhões de pessoas ao mesmo tempo, usa de suas artimanhas para saquear vidas e deixá-las escravas dele através da pornografia.

Deixo ainda abaixo, uma equação que montei para melhor explicar essa tríade do mal:


PORNOGRAFIA     DESEJO CARNAL     MASTURBAÇÃO       


Em complementação ao texto de Mateus e Paulo que lemos acima, deixo para meditação de todos, 1 Coríntios 6:9: "Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos e..."

Na primeira carta de Paulo aos Tessalonicenses, em seu capítulo de número 4, nos versículos 3 a 5 encontramos a seguinte afirmação: "A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus".

Observem que texto forte que Paulo traz aos Tessalonicenses e consequentemente a todos os cristãos. Texto este que nos dá algumas lições importante quanto ao processo de santificação em Deus. 

Primeiro, quando ele nos diz que a vontade de Deus é que sejamos santificados. Não vejo como coexistirem num mesmo contexto, santidade e masturbação. São antagônicas do ponto de vista cristão. 

Segundo, Paulo manda que nos abstenha da imoralidade sexual. Algo que já foi acima discutido e que está intimamente ligada ao processo de masturbação. 

Em terceiro lugar, ensina que cada um de nós devemos ter total controle sobre nosso corpo, e ainda acrescenta, de maneira santa e honrosa. Não consigo distinguir santidade e honra na masturbação e muito menos creditar autocontrole a este processo, pois na maiorias dos casos, o autor não consegue frear seus ímpetos e saci-a-os masturbando-se. 

E por fim, para terminar com chave de ouro o seu texto, Paulo ainda diz que não podemos ser dominados pela paixão de desejos desenfreados. O que dizer mais a respeito disso, a não ser que ao ler as palavras do Apóstolo, fica muito nítido em meus pensamentos, que a masturbação está intimamente ligada às suas últimas palavras, ou seja, "desejos desenfreados".

Para fundamentarmos ainda mais, biblicamente falando, esta pequena explanação, deixo ainda dois textos bíblicos acerca deste assunto:

1. Gálatas 5:19 "Ora, as obras da carne são manifestas, as quais são: a prostituição, a impureza, a lascívia."

2. Ezequiel 23:35 “Agora, assim diz o Soberano, o ­Senhor: Visto que você se esqueceu de mim e me deu as costas, você vai sofrer as conseqüências de sua luxúria e de sua prostituição."

Duas palavras quero destacar aqui. 

A primeira citada em Gálatas, a lascívia, que podemos adequar ao estudo presente, mencionando a sua natureza conceitual. Lascívia que dizer um comportamento desregrado com relação aos prazeres de sexo. Podemos ainda neste mesmo fim, conceituar secundariamente a palavra luxúria, que tem significa um pouco similar a anterior, ou seja, desejo irracional por todo prazer sensual e erótico. 

Em suma, tanto a lascívia, quanto a luxúria, ambas condenadas veementemente pela Palavra de Deus, podem ser diretamente vinculadas ao ato de masturbação, pois tanto o comportamento desregrado, quanto o desejo irracional por prazer, estão intimamente ligados a ele.

Termino este texto, deixando um último versículo para a meditação final de todos:

Hebreus 13:4 "O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, imaculado; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros."

A resposta para todas as dúvidas acerca do que estudamos, está nesta simples e tão profunda mensagem aos Hebreus. Que somente encontraremos paz, tranquilidade e acima de tudo, santificação, no que o texto coloca como única alternativa para que o ser humano possa saciar seus desejos carnais, ou seja, o LEITO MATRIMONIAL.

Deixo bem claro aqui, que este debate divide muitas opiniões, principalmente no mundo cristão, e que de antemão, esclareço que a opinião deste que vos escreve é pessoal e pautada no que considero correto aos olhos da Palavra de Deus. Sendo assim, todos possuem total liberdade de discordar deste e se assim fizerem, gostaria que postassem seus comentários para debatermos em conjunto. Tudo é claro, com ordem e decência, como bem nos orienta as Escrituras Sagradas.


 Por: José Augusto Pereira Rabello
Conheça o blog do autor: Alfa e Ômega