SEIS FATORES QUE CONTRIBUEM PARA UMA LIDERANÇA ESPIRITUAL DEFEITUOSA
  • 1. Medo.
O desejo de ser amado e admirado é forte até mesmo entre os pastores. Portanto, em lugar de contrariar a opinião pública, o pastor sente-se tentado a manter-se inativo e apenas sorrir amavelmente para as pessoas, "O temor do homem se transforma em armadilha", diz o Espírito Santo, e isso fica demonstrado no ministério mais do que em qualquer outro setor.

  • 2. As dificuldades financeiras.
O ministro protestante quase nunca é bem pago e a família do pastor geralmente é grande. Combine esses dois fatos e você tem uma situação ideal para criar problemas e tentações ao homem de Deus. A tendência da congregação de suspender as ofertas quando o pregador toca em seus pontos fracos é bem conhecida. O pastor vive no geral de ano para ano, quase não conseguindo saldar seus compromissos mensais. Proporcionar à igreja uma liderança moral vigorosa e bíblica representa quase um convite aos problemas financeiros e o pastor então a retém. O mal é que a liderança retida transforma-se de fato numa espécie de liderança ao inverso. O homem que não leva suas ovelhas montanha acima, as faz descer sem que o saiba.

  • 3. Ambição.
Quando Cristo não é tudo em todos para o ministro/pastor, este é tentado a abrir caminho para si mesmo, e agradar a multidão é um meio já provado de subir nos círculos da igreja. Em vez de guiar os fiéis para onde deve ir (os céus), ele habilmente os leva aonde sabe que eles querem ir (entretenimento, depois para o inferno). Ele aparenta então ser um líder ousado, mas evita ofender quem quer que seja, assegurando assim um cargo privilegiado quando a igreja grande ou a posição mais elevada se oferecerem.

  • 4. Orgulho intelectual.
Os círculos religiosos infelizmente rendem culto à inteligência. Mas isto, em minha opinião, não passa de puro estilo "rebelde". Do mesmo modo que o "rebelde" apesar de seus fortes protestos de individualismo é um dos conformistas mais servis, o jovem intelectual no púlpito treme em seus sapatos brilhantes e em seus cabelos cheios de gel com medo de dizer algo banal ou comum. Os fiéis esperam que ele os leve às verdes pastagens, mas em vez disso ele os guia em direção ao deserto. Ortodoxia morta mata o rebanho. Intelectualismo árido leva o rebanho à sequidão de estio. Líderes mortos tiram de si sermões mortos e sermões mortos matam.

  • 5. Ausência de verdadeira experiência espiritual.
Ninguém pode levar outros para além do ponto em que ele mesmo já chegou. Isso explica a falha na liderança de muitos ministros. Eles simplesmente não sabem para onde ir. Eles estão perdidos doutrinariamente. Eles estão se afogando no misticismo do neopentecostalismo tão aceito e aplaudido atualmente.
A doutrina de Deus não substitui nossa experiência com Deus. Como já dizia o grande D. M. Lloyd-Jones: “as Escrituras não nos foram dadas para substituir nossas experiências com Deus [em oração, jejum e comunhão], mas para corrigir os abusos”.
Buscando conhecer a Deus por meio das Escrituras, necessariamente experimentaremos Sua boa, perfeita e santa vontade em nossas vidas, e assim podemos guiar o rebanho de Deus para Seus verdes pastos.
Pastores que não buscam a Yahweh são chamados de estúpidos:

Porque os pastores se tornaram estúpidos e não buscaram ao SENHOR, por isso não prosperam, e todos os seus rebanhos se acham dispersos (Jr 10.21).
Pastorear o povo de Deus sem busca-Lo é tolice! A consequência é a calamidade do rebanho. Fazendo isso seremos pastores que prevaricam contra Yahweh (cf. Jr 2.8).
  • 6. Preparo insuficiente.
As igrejas estão cheias de amadores religiosos, culturalmente desclassificados para servirem no altar, e o povo sofre as consequências disso. As ovelhas são desviadas sem se aperceberem do que está acontecendo.
Vejo e ouço pastores e pregadores desqualificados, superficiais e artificiais. É lamentável que boa-parte de meus pares ministeriais nunca estiveram no conselho de Yahweh para ouvir Sua palavra. Eles falam do conselho do próprio coração. Passam ao povo seus próprios projetos e sonhos. Muitos tem falado e ensinado “as visões do seu coração, não o que vem da boca de Yahweh” (Jr 23.16).
Yahweh alerta a todos nós pastores e pregadores:

Eis que Eu Sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz o SENHOR, e os contam, e com as suas mentiras e leviandades fazem errar o Meu povo; pois Eu não os enviei, nem lhes dei ordem; e também proveito nenhum trouxeram a este povo, diz o SENHOR. (Jr 23.32).
Estes são pastores que fazem o povo de Deus esquecer-se do Nome de Yahweh. Na linguagem do profeta:
Os quais cuidam em fazer que o Meu povo se esqueça do Meu Nome pelos seus sonhos que cada um conta ao seu companheiro, assim como seus pais se esqueceram (Jr 23.27).
Amados pastores e líderes façamos o clamor do profeta Jeremias:
Tu, SENHOR, reinas eternamente, o Teu trono subsiste de geração em geração.
Por que Te esquecerias de nós para sempre? Por que nos desampararias por tanto tempo?
Converte-nos a Ti, SENHOR, e seremos convertidos; renova os nossos dias como dantes.
Por que nos rejeitarias totalmente? Por que te enfurecerias sobremaneira contra nós outros? (Lm 5.19-22).

As recompensas da liderança santa são tão grandes e as responsabilidades do líder tão pesadas que ninguém pode deixar de levar a sério esse assunto.

Ivan Teixeira



author

Ivan Teixeira

Servo de Deus e ministro das insondáveis riquezas de Cristo Jesus revelada no Evangelho pela graça infinita de Deus. Membro convencionado da: CGADB, matrícula 33118 e CEADDIF, matrícula 1726. Casado. Residindo em Brasília-DF.
©Ivan Teixeira é um dos Cooperadores do Evangelho!