Expiação definida (limitada) em Clemente de Roma (30 - 101 d.C)
Clemente falava dos eleitos de Deus em conexão com a obra de Cristo na cruz, afirmando que os crentes foram escolhidos “nele [Cristo]” (Ef 1.4) e que o Pai escolheu Cristo para efetuar a redenção desses escolhidos. Ele escreve:
E agora, que todos vejam a Deus e Senhor “dos espíritos” e Senhor “de toda carne”, que escolheu o Senhor Jesus Cristo e a nós eleitos através dele “para ser seu povo peculiar”, conceda a cada alma sobre quem seu magnificente e santo nome tem sido invocado, fé, temor, paz, paciência, longanimidade, domínio próprio, pureza e sobriedade. (Clement, First Clement, página 64, citado em Richardson, Early Christian Fathers, página 73)
Nesta afirmação, Clemente reconheceu a eleição divina tanto de Cristo como de seus eleitos. À luz disto se entenda que Cristo foi escolhido para salvar os escolhidos. Clemente fazia alusão à verdade de que a morte de Cristo se destinava aos eleitos, escrevendo:
Todos os eleitos foram aperfeiçoados pelo amor. Sem amor nada pode agradar a Deus. Pelo amor, o Senhor nos aceita. Porque pelo amor que ele nutriu por nós, em concordância com a vontade de Deus, Jesus Cristo nosso Senhor deu seu sangue por nós, os eleitos, sua carne pela nossa carne e sua vida pela nossa. (Clement, First Clement, página 49, citado em Richardson, Early Christian Fathers, página 66)
Dizendo isso, Clemente afirmou que Cristo, sacrificialmente, derramou seu sangue pelos eleitos. As palavras de Clemente estão em linha com a verdade de que Cristo morreu somente pelos eleitos. Em outro lugar, Clemente ensina que a expiação foi [feita] por todos os que creem: “Foi pelo sangue do Senhor que a redenção se concretizou por todos os que creem em Deus e esperam nele.” (Clement, First Clement, página 12, citado em Richardson, Early Christian Fathers, página 49). Clemente escreve mais: “O evangelho se estende a todos, mas somente os eleitos creem e o recebem.” (Clement, First Clement, página 32, citado em Richardson, Early Christian Fathers, página 58). Ele reconhece que a livre oferta do evangelho na morte de Cristo se estendeu a todos, mas somente os eleitos creem nela e a recebem.
(LAWSON, Steven. Pilares da graça, longa linha de vultos piedosos, volume II página 82 e 83. Publicado pela editora Fiel)