Texto Áureo
“Sendo justificados gratuitamentepela sua graça, pela redenção que háem Cristo Jesus, ao qual Deus propôspara propiciação pela fé no seu sangue,para demonstrar a sua justiçapela remissão dos pecados dantescometidos, sob a paciência de Deus.”
(Rm 3.25)
Verdade Prática
Jesus Cristo executou, na cruz, o sacrifícioperfeito, obtendo, por meio deseu sangue, e de uma vez por todas,a redenção eterna para todos os quecreem nEle.

LEITURA DIÁRIA
Segunda – Lv 6.8-13; Hb 10.4-10
A oferta de holocaustos
Terça – Lv 6.14-23
A oferta de manjares
Quarta – Lv 7.11-21
A oferta pacífica
Quinta – Lv 6.24-30
A oferta pela expiação do pecado
Sexta – Lv 7.1-10
A oferta pela expiação da culpa
Sábado – Lv 16.1-23
O grande Dia da Expiação

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Levítico 1.1-3; 2.1-3; 3.1,2; 7.1,2; 1 João 2.1,2

Levítico 1.1-3
1 - E chamou o SENHOR a Moisés efalou com ele da tenda da congregação,dizendo:
2 - Fala aos filhos de Israel e dize-lhes:Quando algum de vós oferecer oferta aoSENHOR, oferecereis as vossas ofertasde gado, de vacas e de ovelhas.
3 - Se a sua oferta for holocausto degado, oferecerá macho sem mancha;à porta da tenda da congregação aoferecerá, de sua própria vontade,perante o SENHOR.
2.1-3
1 - E, quando alguma pessoa ofereceroferta de manjares ao SENHOR, a suaoferta será de flor de farinha; nela, deitaráazeite e porá o incenso sobre ela
2 - E a trará aos filhos de Arão, os sacerdotes,um dos quais tomará dela um punhadoda flor de farinha e do seu azeite com todoo seu incenso; e o sacerdote queimará estememorial sobre o altar; oferta queimadaé, de cheiro suave ao SENHOR.
3 - E o que sobejar da oferta de manjaresserá de Arão e de seus filhos; coisasantíssima é, de ofertas queimadasao SENHOR.
3.1,2
1 - E, se a sua oferta for sacrifício pacífico,se a oferecer de gado macho ou fêmea, aoferecerá sem mancha diante do SENHOR.
2 - E porá a sua mão sobre a cabeça dasua oferta e a degolará diante da portada tenda da congregação; e os filhosde Arão, os sacerdotes, espargirão osangue sobre o altar, em roda.
7.1,2
1 - E esta é a lei da expiação da culpa;coisa santíssima é.
2 - No lugar onde degolam o holocausto,degolarão a oferta pela expiaçãoda culpa, e o seu sangue se espargirásobre o altar em redor.
1 João 2.1,2
1 - Meus filhinhos, estas coisas vosescrevo para que não pequeis; e, sealguém pecar, temos um Advogadopara com o Pai, Jesus Cristo, o Justo.
2 - E ele é a propiciação pelos nossospecados e não somente pelos nossos,mas também pelos de todo o mundo.

HINOS SUGERIDOS: 20, 287, 380 da Harpa Cristã




OBJETIVO GERAL
Apresentar as diferentes ordens cerimoniais que constituem o sistema de sacrifíciosestabelecido em Israel.Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cadatópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

Explicar o que era oferta voluntária do Holocausto;
Ressaltar o que representava a oferta de manjares;
Conceituar a oferta pacífica, a oferta pelo pecado e o Dia da Expiação.
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
A lição desta semana destaca a funcionalidade dos sacrifícios designadospor Deus para compor o complexo sistema de sacrifícios no Antigo Testamento.As ordenanças quanto aos cerimoniais deveriam ser seguidas à risca. Esta foia forma que Deus empregou para ensinar o seu povo que a reconciliação e acomunhão com Ele não poderiam ser tratadas com menor importância. Deveriahaver temor e obediência contínuos no cumprimento das suas ordenanças.Entretanto, a Palavra de Deus nos mostra que o sacrifício único de Cristo nacruz do Calvário foi suficiente para apagar os nossos pecados e nos reconciliarcom o Criador (2 Co 5.21; 1 Pe 3.18). Portanto, devemos ser gratos a Deus portão grande amor e bondade.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
Antes de ser uma resolução deMoisés, o sistema de sacrifícios estabelecidoem Israel foi ordenado porDeus. Os livros de Êxodo e Levíticoapresentam, com precisão,as instruções sobre comoeles deveriam ser apresentadosa Deus dentrodo Tabernáculo. Nestalição, veremos comoesse sistema foi praticadoe desenvolvido atéque chegasse ao supremo esuficiente sacrifício de nossoSenhor e Salvador Jesus Cristo: aexpiação do Calvário.

I – A OFERTA VOLUNTÁRIA:O HOLOCAUSTO (Lv 1.1-3)
1. O conceito de holocausto.
Apalavra “holocausto”, no hebraico,olah, significa “levantar, fazer subir,que ascende”. Vimos esse conceito emlição anterior, mas em relação ao altardo holocausto. Aqui, estamos analisandoa apresentação do próprio sacrifício deholocausto. Nesse sentido, essa ofertaera apresentada pelo sacerdote no altar,de onde um “cheiro suave” subia “àsnarinas de Deus”. Era um modo antropomórfico;isto é, uma figura tipicamentehumana para referir-se a Deus.

2. O que era a oferta de holocausto?
Basicamente, a ofertaapresentada no altar do holocaustopodia ser de animaiscomo boi, ovelha, cabra,pombinhos ou rolinhas.Cada vítima era queimadano altar. Era um tipo desacrifício que apontavapara a vítima perfeita: oCordeiro de Deus “que tirao pecado do mundo” (Jo 1.29cf. Is 52.13-15; Fp 2.5-8; Hb 12.2,3).

3. Uma oferta voluntária. A ofertatinha um caráter voluntário (Lv 1.3). Oobjetivo do holocausto era que Deusaceitasse o ofertante. Essa aceitaçãodependia de a oferta apresentada pelosacerdote ser aceita diante de Deus.Assim, o ofertante colocava a mão sobrea cabeça da vítima a ser sacrificada,transferindo, para si, os benefícios dosacrifício: a expiação dos pecados. Oanimal era imolado fora da tenda e,em seguida, conduzido ao altar dosholocaustos.

4. O sacrifício de Cristo foi um“holocausto” agradável ao Pai.
Doistextos bíblicos expressam essa verdade.Efésios 5.2 diz: “Cristo vos amoue se entregou a si mesmo por nós, emoferta e sacrifício a Deus, em cheirosuave”. E também Hebreus 9.13,14:“porque, se o sangue dos touros ebodes e a cinza de uma novilha, esparzidasobre os imundos, os santificam,quanto à purificação da carne,quanto mais o sangue de Cristo, que,pelo Espírito eterno, se ofereceu a simesmo imaculado a Deus, purificaráa vossa consciência das obras mortas,para servirdes ao Deus vivo?”. Trata-se, pois, de uma imagem perfeita decomo fomos reconciliados com o Paimediante o sacrifício de seu amadoFilho (2 Co 5.19).

SÍNTESE DO TÓPICO I
O holocausto era a imagem perfeitade como fomos reconciliados com oPai mediante o sacrifício de seu Filhoamado, Jesus.

SUBSÍDIO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO
A aula desta semana é uma excelenteoportunidade para que seusalunos conheçam a aplicabilidade decada cerimonial de sacrifício instituídona Lei mosaica. Neste caso, à medidaque você destacar a importância doholocausto como imagem perfeitado sacrifício de Cristo na cruz doCalvário, é fundamental que seusalunos visualizem como aconteciaeste cerimonial. Para tanto, pesquisena internet, ou revistas, e leve para asala de aula imagens ou figuras querepresentem o momento do holocausto realizado pelo sacerdote. Sugiro parao seu estudo o Novo Manual de Usose Costumes dos Tempos Bíblicos, especificamente,o capítulo que trata arespeito da religião; e o livro Temposdo Antigo Testamento: um contextoSocial, Político e Cultural.

II – A OFERTA DE MANJARES(Lv 2.1-3)
1. O significado da oferta.
Essaoferta representava a gratidão dohebreu pela fecundidade da terra. Eletirava os cereais comestíveis e oferecia-os ao Senhor como “um sacrifíciode manjares”. Essa imagem nos falade como devemos apresentar o frutodo nosso trabalho diante de Deus. Nãopodemos nos apresentar perante Elede mãos vazias (Mt 25.14-30).

2. Como era a oferta de manjares?
Essa oferta também era chamada de“Festa das Primícias” (2.12-16). Elacompunha-se de grãos novos e macioscolhidos na primeira colheita. Essaoferta também era feita de farinhafina misturada com azeite. Sabemos,pela Bíblia, que o azeite é um dossímbolos do Espírito Santo (Zc 4.2-6;Êx 30.31). Essa oferta faz-nos lembrarda importância de vivermos uma vidadependente do Espírito Santo. Quepossamos, na força do Espírito, fazeras mesmas obras que o nosso Senhorfez (At 10.38).

3. A oferta aponta para um alimentoespiritual.
A Palavra de Deus diz queo nosso Senhor é o “pão vivo que desceudo céu”, o trigo que foi moído para setornar o nosso alimento espiritual (Jo6.33-35). Logo, da mesma forma queIsrael obedeceu à ordenança divina deapresentar a oferta de manjares diantede Deus, nós somos instados, por Cristo,a alimentar-nos dEle. O testemunho doSenhor é verdadeiro (Jo 5.30; 8.28).

SÍNTESE DO TÓPICO II
A oferta de manjares representacomo devemos apresentar o fruto donosso trabalho diante de Deus. Nãopodemos nos apresentar perante Elede mãos vazias.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
“O próprio cerne da relação doconcerto — comunhão entre o Senhor eo seu povo — e o meio da sua realizaçãoinicial de Levítico, onde, com respeitoaos holocaustos, o Senhor diz: ‘À portada tenda da congregação [a oferta] trará,para que o homem seja aceito peranteo SENHOR’? (Lv 1.3, ARA). [...] O fatode o concerto entre o Senhor e Israelter sido modelado segundo os pactosdo antigo Oriente Próximo em formae função, permite-nos entender comclareza incomum, a miríade de detalhesrelacionados ao culto no Pentateuco. Ossacrifícios e as ofertas tinham o objetivode demonstrar a subserviência de Israel,expiar as ofensas contra o Soberano, oSenhor, e refletir a harmonia e a índolepacífica da relação estabelecida ourestabelecida.O holocausto e a oferta de manjares(Lv 1-2) serviam para identificar oofertante como servo do rei, servo quenão ousava chegar diante dele de mãosvazias. As ofertas pelo pecado e pelaculpa (Lv 4-5) serviam para restabeleceruma relação que fora rompida porcausa da desobediência do servo. Elaseram a sua recompensa a um senhorofendido. As ofertas pacíficas (ou decomunhão, Lv 3) constituíam expressãoda ação de graças pelo vassalo a umestado de comunhão que atualmenteexistia. Eram testemunhos voluntáriose não-obrigatórios de um coraçãocheio de graças e louvor pela bondadedo Senhor” (ZECK, Roy B. Teologia doAntigo Testamento. Rio de Janeiro:CPAD, 2009, pp.71,72)

III - A OFERTA PACÍFICA, OSACRIFÍCIO PELO PECADO E O DIADA EXPIAÇÃO (Lv 3.1,2; 7.1,2)
1. O que era a oferta pacífica?
Era um sacrifício em que o ofertanteimolava o animal, tirando porçõesespeciais e separando-as do sanguee da gordura do animal. Em seguida, osacerdote espargia o sangue do animalimolado a o redor do altar, em sinalda propiciação pela vida do pecador.Depois, os miúdos do animal eramqueimados no fogo do altar e, assim,tanto o sacerdote quanto o ofertante,e sua família, comiam a carne nobredo animal imolado (Lv 2.8,13,16,17).Essa oferta significava, literalmente,“um presente oferecido a Deus”, edenotava a comunhão e a felicidadedo ofertante com o Pai.

2. A simbologia da oferta pacífica.
A oferta pacífica aponta para a nossareconciliação com o Pai. A Palavrade Deus mostra que o nosso Senhorproveu a paz entre o homem e oCriador: “porque foi do agrado do Paique toda a plenitude nele habitassee que, havendo por ele feito a pazpelo sangue da sua cruz, por meiodele reconciliasse consigo mesmotodas as coisas, tanto as que estão naterra como as que estão nos céus” (Cl1.19,20). Isso demonstra que o Senhorfoi a oferta pacífica para reconciliar-nos com o Pai, tornando-se assim, anossa Paz (Is 9.6).

3. O que era a oferta pelo pecado?
Diferentemente das outras oferendas,as ofertas pelo pecado e pela culpaeram obrigatórias. Elas identificavama natureza pecaminosa do homem;alguém que necessitava apresentara Deus algo por seus pecados. Essesacrifício era feito fora do arraial.O animal teria de ser imolado forado acampamento hebreu. A Bíblia mostraque Nosso Senhor Jesus foi mortofora de Jerusalém, fazendo-se pecadopor nós (1 Pe 2.24).
4. O grande dia da expiação.
Levítico16 narra o mais importante diapara o povo judeu: o dia da Expiação. Odia em que todo judeu devia observarum jejum e não fazer qualquer trabalho.Esse dia é ainda hoje observado por elescomo YomKippur, o “Dia do Perdão”.O dia da Expiação era a data emque o Sumo Sacerdote apresentava umnovilho por si mesmo e por sua família(Lv 16.6) e um bode pelo povo (Lv 16.7-10) no Santo dos Santos, aspergindo osangue das vítimas sobre o propiciatório(Lv 16.11-19). O r ito representava amais importante oferta pelo pecadode toda a nação.Esse rito aponta para o nosso grandedia da Expiação, no Calvário, quandoJesus Cristo, nosso Senhor, exclamouna cruz: “Está consumado” (Jo 19.30).

SÍNTESE DO TÓPICO III
A oferta pacífica, a oferta pelo pecadoe o dia da expiação são expressõesclarividentes da graça redentora deDeus manifestada na cruz do Calvário.

SUBSÍDIO DE VIDA CRISTÃ
“Em certo sentido, o Senhor foimorto pelos executores romanos. Pedrodisse: ‘Vós o matastes, crucificando-opor mãos de iníquos’ (At 2.23). Mas,em outro sentido, Ele não foi morto,pois entregou voluntariamente suavida. Jesus disse: ‘Por isso, o Pai meama, porque dou a minha vida paratornar a tomá-la. Ninguém ma tira demim, mas eu de mim mesmo a dou;tenho poder para a dar e poder paratornar a tomá-la. Esse mandamentorecebi de meu Pai’ (Jo 10.17,18). OSenhor morreu voluntariamente, oPastor entregando a vida pelas ovelhas.
Que coisa surpreendente! Ninguémmorria de boa vontade nos sacrifíciosdo Antigo Testamento. Nenhum cordeiro,bode ou ovelha jamais rendeuespontaneamente a sua vida. Mas Jesusfez isso por nós. É maravilhoso poderafirmar: ‘Pai, nas tuas mãos entrego omeu espírito’.Antes de entregar sua vida, Jesusperdoou os inimigos. Deu salvação a umladrão arrependido. Cuidou de sua mãe.Terminou a obra que Deus lhe dera parafazer. [...] hoje devemos seguir o exemplode Cristo e perdoar nossos inimigos,pois é possível que venhamos morrerainda hoje. Não queremos encontrar oSenhor tendo alguma coisa contra quemquer que seja no coração. Queremoschegar à hora da nossa morte havendocompartilhado com outros a salvação”
(WIERSBE, Warren W. O Que as Palavrasda Cruz Significam Para Nós. 1ª ed. Riode Janeiro: CPAD, 2001, p.119).

CONCLUSÃO
Nesta lição, vimos o quanto eracomplexo o sistema de apresentaçãode ofertas para diversos pecados, e odia anual de expiação, em que o SumoSacerdote apresentava a oferta pelanação inteira. Mas a Palavra de Deusmostra-nos que o sacrifício único deCristo, no Calvário, foi suficiente paraapagar os nossos pecados (2 Co 5.21;1 Pe 3.18).Valorize a graça de Deus e alegre-se no Espírito Santo por este presente:a salvação.

PARA REFLETIR
A respeito da lição “O Sistema de Sacrifícios”,responda:
• Quais animais podiam ser apresentados na oferta de holocaustos?
A oferta apresentada no altar do holocausto podia ser de animais comoboi, ovelha, cabra, pombinhos ou rolinhas.
• Cite um texto bíblico que aponte o sacrifício de Jesus como um“holocausto” agradável a Deus.
O Cordeiro de Deus “que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29 cf. Is 52.13-15;Fp 2.5-8; Hb 12.2,3).
• Qual era o significado da oferta de manjares?
Essa oferta representava a gratidão do hebreu pela fecundidade da terra.
• Para quê a oferta pacífica aponta?
A oferta pacífica aponta para a nossa reconciliação com o Pai.
• Para quê o rito da Expiação aponta?
Esse rito aponta para o nosso grande dia da Expiação, no Calvário, quandoJesus Cristo, nosso Senhor, exclamou na cruz: “Está consumado” (Jo 19.30).

CONSULTE
Revista Ensinador Cristão – CPAD, nº 78, p. 41. Você encontrará mais subsídiospara enriquecer a lição. São artigos que buscam expandir certos assuntos.

Lições do 2º trimestre de 2019 – Elienai Cabral

Elienai Cabral


Avatar Elienai Cabral é Pastor, conferencista, teólogo, membro da Casa de Letras Emílio Conde, comentarista de Lições Bíblicas da CPAD e membro do Conselho Administrativo da CPAD. Autor dos livros “Comentário Bíblico de Efésios”, “Mordomia Cristã”, “A Defesa do Apostolado de Paulo – Estudo na Segunda Carta aos Coríntios”, “Comentário Bíblico de Romanos”, “A Síndrome do Canto do Galo”, “Josué – Um líder que fez diferença”, “Parábolas de Jesus” e “O Pregador Eficaz”.