Texto Áureo
“E o mesmo Deus de paz vos santifiqueem tudo; e todo o vosso espírito,e alma, e corpo sejam plenamenteconservados irrepreensíveis para avinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”
(1 Ts 5.23)
Verdade Prática
Ao lado do corpo, a alma e o espíritodevem estar preparados para a vindado Senhor Jesus Cristo.

LEITURA DIÁRIA
Segunda – Rm 5.12
O pecado atingiu a todos os homens
Terça – Ec 7.20
Não há homem que não peque
Quarta – 1 Jo 1.7
O sangue de Cristo nos purifica de todo o pecado
Quinta – 1 Ts 5.23
A tricotomia do ser humano
Sexta – Hb 12.14
Sem santificação ninguém verá oSenhor
Sábado – Gl 5.25
O cristão deve andar no Espírito
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Gálatas 5.16-22,25

16 - Digo, porém: Andai em Espíritoe não cumprireis a concupiscênciada carne.
17 - Porque a carne cobiça contra oEspírito, e o Espírito, contra a carne; eestes opõem-se um ao outro; para quenão façais o que quereis.
18 - Mas, se sois guiados pelo Espírito,não estais debaixo da lei.
19 - Porque as obras da carne sãomanifestas, as quais são: prostituição,impureza, lascívia,
20 - idolatria, feitiçarias, inimizades,porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões,heresias,
21 - invejas, homicídios, bebedices,glutonarias e coisas semelhantes aestas, acerca das quais vos declaro,como já antes vos disse, que os quecometem tais coisas não herdarão oReino de Deus.
22 - Mas o fruto do Espírito é: amor,gozo, paz, longanimidade, benignidade,bondade, fé, mansidão, temperança.
25 - Se vivemos no Espírito, andemostambém no Espírito.

HINOS SUGERIDOS: 5, 223, 324 da Harpa Cristã




OBJETIVO GERAL
Conscientizar que, ao lado do corpo, a alma e o espírito devem ser preservadospara a vinda do Senhor Jesus.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cadatópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

Conceituar alma e espírito;
Relatar a mordomia da alma;
Apresentar a mordomia do espírito.
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Vivemos numa sociedade materialista em que o corpo, em quase todasas esferas, é a prioridade. Muitos levam mais a sério malhar o corpo emdetrimento de exercitar práticas que desenvolvam mais a saúde da mentee a vida espiritual. A mordomia da alma e do espírito implica desenvolver aesfera material do corpo. Podemos desenvolver a nossa mente com as coisasboas com que nos alimentamos (Fp 4.8,9), e também podemos tonificar oespírito com exercícios de piedade os quais as Escrituras nos ensinam (Mt6.9-13,16-18). Portanto, nesta lição temos a oportunidade de falarmos acercado bem-estar da alma e do espírito.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
Para ser mordomo da alma e doespírito, o homem necessita, antesde tudo, da fé em Deus, da entregaincondicional a Cristo Jesus eda ação poderosa do EspíritoSanto na sua mente, pensamentoe maneira de viverdiante do Criador. Para issoé preciso ser “nova criatura”(1 Co 5.17)! Assim, além deconservar o corpo, precisamosconservar a alma e o espírito. É oque veremos nesta lição.

I – CONCEITUANDO ALMA EESPÍRITO
1. O significado de alma.
No AntigoTestamento, a palavra “alma” é nephesh.No Novo, o termo usado é psiquê, quetem o sentido de “alma” e de “vida”,e encontra-se ligado à palavra psíquicos,que significa “pertencente a estavida”. Ela é “a base das experiênciasconscientes”, equivalendo, portanto,à própria vida, à personalidade ou àpessoa mesmo (cf. 2 Co 1.23).Assim, o texto bíblico de Levítico17.10-15 revela uma diversidade desentidos para a palavra “alma”: A pessoafísica (v.10), a vida de um animal (v.11),a vida de uma pessoa (v.11). Do pontode vista teológico, a alma é a sede dasemoções e dos sentimentos, conformeJesus expressou num contexto deangústia: “A minha alma estáprofundamente triste até amorte” (Mc 14.34).
2. A origem da alma.
Aalma está unida ao espírito,e, por isso, é humanamenteimpossível separá-los. Só aPalavra d e Deus pode fazê-lo(Hb 4.12). Assim, tanto a alma quantoo espírito constituem a parte imaterialdo ser humano. Em relação à origemda alma, há pelo menos três teoriasque tentam explicá-la: a teoria dapreexistência, do criacionismo e daparticipação.
2.1. Teoria da preexistência. Segundoessa teoria, as almas existem nasdiversas esferas do mundo espiritual eentram no corpo gerado, num processodenominado “reencarnação”. O objetivodesse processo é levar a pessoa a sofrerpelos “pecados cometidos em pretensasexistências anteriores”. Esse é um dospontos fundamentais do Espiritismo.Entretanto, não há fundamento bíblico para essa teoria. A Bíblia revela que o“pecado original” passou a todos oshomens (Rm 5.12) e que vigora até osdias atuais, pois “não há homem quenão peque” (Ec 7.20). Porém, o sanguede Cristo purifica o pecador (1 Jo 1.7),quando este se arrepende, confessa oseu pecado e o deixa (Pv 28.13).
2.2. Criacionismo. Segundo estateoria, baseada no pensamento filosóficogrego, Deus dedica-se à criação dealmas diariamente, para que habitemnos corpos que forem sendo concebidos.É um ponto de vista que carece defundamentos bíblicos.
2.3. Teoria participativa. A teoriaexpressa que Deus dá a vida a todapessoa gerada de acordo com as leis dareprodução biológica geradas por Ele.Assim, homem e mulher geram um novoser com a cooperação divina (At 17.28;Hb 1.3). É uma visão que tem base naBíblia e que está harmonizada com aPalavra a Deus: “Fala o SENHOR, o queestende o céu, e que funda a terra, eque forma o espírito do homem dentrodele” (Zc 12.1b).Todavia, como Deus age na criaçãode cada alma e espírito dentro do serhumano é um dos muitos mistérios dafé pela qual devemos curvar-nos humildementediante de sua magnitude.
3. Conceituação de espírito.
Segundoo Novo Testamento, a palavraque se refere a “espírito” é pneuma. Otermo pode se referir a parte imaterial dapersonalidade humana (cf.1 Co 7.1,34), opróprio ser da pessoa (1 Co 16.18; 2Tm4.22) e, mais especificamente, a fontedo discernimento (Mc 2.8), das emoções(Jo 11.33) e da vontade (At 19.11) deuma pessoa. Assim, o espírito humanoregenerado, submetido a Cristo, torna-sesensível ao Espírito Santo e é capaz demanifestar o fruto do Espírito, as virtudesdo Reino de Deus (Gl 6.1;cf. Mt 5 – 7). Nesse sentido, em termos espirituais,só há dois tipos de crentes: osespirituais e os carnais (Rm 8.1). Oscrentes espirituais caracterizam-se peloseu “espírito” dominado pelo EspíritoSanto (Gl 5.16-18,22-25). Os carnaisvivem de acordo com a natureza carnalque não foi submetida nem transformadapor Cristo (Gl 5.19-21).

SÍNTESE DO TÓPICO I
A alma é a sede das emoções e dossentimentos; o espírito, a fonte dessasemoções e sentimentos.
SUBSÍDIO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO
Para a exposição deste primeirotópico, sugerimos a leitura das páginas242-260 da obra “Teologia Sistemática:Uma Perspectiva Pentecostal”, editadapela CPAD. O assunto em estudo é altamenteteológico, por isso, consultaruma boa Teologia Sistemática será deajuda inestimável a fim de apresentarcom maior segurança um assuntocomplexo. Tenha atenção com o termo“tricotomia” (ponto a ser desenvolvidono tópico 2). Neste primeiro tópicovocê deve deixar claro o significadodo termo “alma”, as teorias acerca desua origem e a conceituação do termo“espírito”. Boa aula!

II. A MORDOMIA DA ALMA:“O HOMEM INTERIOR”
1. A tricotomia do homem.
Afirmamosque o ser humano é um sertricotômico. Ou seja, Deus o constituide três partes conforme revela-nos asua Palavra: “e todo vosso espírito, ealma, e corpo” (1 Ts 5.23). O corpo, aparte material, refere-se ao “homemexterior” (2 Co 4.16). Já o conjuntoimaterial formado pela alma e peloespírito, que é envolvido pelo corpo,a Bíblia denomina-o de “o homem interior”, conforme as palavras doapóstolo Paulo: “Porque, segundo ohomem interior, tenho prazer na lei deDeus” (Rm 7.22; cf. 2 Co 4.16).
2. A mordomia da alma.
A Bíbliadeclara que a alma do homem, assimcomo o espírito e o corpo, deve serconservada irrepreensível para a vindado Senhor Jesus Cristo. Essa é a essênciada mordomia da alma. Cada crentedeve mantê-la íntegra e irrepreensível.Alguns aspectos, porém, devem serconsiderados na mordomia da alma.
2.1. A Necessidade da alma. Essanecessidade inclui a emoção e pode sersatisfeita no relacionamento com Deus.A alma precisa de refrigério espiritual eda presença divina (Sl 23.1-3). No salmo42, o salmista expressa sinceramente anecessidade de sua alma: “Como o cervobrama pelas correntes das águas, assimsuspira a minha alma por ti, ó Deus! Aminha alma tem sede de Deus, do Deusvivo” (vv.1,2). Quanta necessidade aalma tem por Deus?! A Bíblia revelaque o Espírito Santo preenche essanecessidade e produz em nós o “frutodo Espírito” (Gl 5.22-24).
2.2. A santificação da alma. É umanecessidade da alma o “viver santo”,sem o qual ninguém verá a Deus (Hb12.14). O ser humano é salvo pela “graçade Deus”, e isso é dom divino (Ef 2.8,9).Mas ele precisa também arrepender-sede seus pecados, confessar a Cristocomo Senhor e santificar-se integralmenteem Deus, conforme o apóstoloPaulo ensina: “Abstende-vos de todaaparência do mal. E o mesmo Deus depaz vos santifique em tudo; e todo ovosso espírito, e alma, e corpo sejamplenamente conservados irrepreensíveispara a vinda de nosso Senhor JesusCristo” (1 Ts 5.22,23).
2.3. A santificação dos pensamentos.Vimos que a alma é “a sede das emoções,dos sentimentos e dos pensamentos”,logo, sua mordomia deve zelar por tudoo que preenche o pensamento do crente,conforme ensina o apóstolo Paulo (Fp 4.8).Nesse contexto, devemos atentarpara a advertência de Jesus em relaçãoao coração do homem (isto é, sua interioridade):“Porque do coração procedem osmaus pensamentos, mortes, adultérios,prostituição, furtos, falsos testemunhose blasfêmias” (Mt 15.19). Portanto, nãopodemos pensar só no que “não fazer”,mas também no que “não pensar”.Toda ação ou reação humana precede opensamento, o sentimento e a emoção.

SUBSÍDIO DOUTRINÁRIO
“Textos bíblicos que parecem apoiaro tricotomismo incluem 1 Tessalonicenses5.23, onde Paulo pronuncia a bênção:‘E todo o vosso espírito, e alma, e corposeja plenamente conservados irrepreensíveispara a vinda de nosso SenhorJesus Cristo’. Em 1 Coríntios 2.14 – 3.4, Paulo refere-se aos seres humanos comosarkikos(literalmente: ‘carnal’ 3.1,3),psuchikos(literalmente: ‘segundo aalma’, 2.14) e pneumatikos(literalmente:‘espiritual’, 2.15). Esses dois textos parecemdemonstrar de forma ostensivatrês componentes elementares. Váriosoutros textos parecem distinguir alma eespírito (1 Co 15.44; Hb 4.12)” (HORTON,M. Horton (Ed.). Teologia Sistemática:Uma Perspectiva Pentecostal. Rio deJaneiro: CPAD, 2018, p.248).

III – A MORDOMIA DO ESPÍRITO
1. Andando em Espírito.
Na mordomiado espírito, o crente deve procurarandar em Espírito, ou seja, na submissãoao Espírito Santo. Diz o texto bíblico:“Digo, porém: Andai em Espírito e nãocumprireis a concupiscência da carne”(Gl 4.16). Andar em Espírito é viver emobediência à direção do Espírito Santoem todas as áreas da vida. Há uma lutainterior entre a carne e o Espírito (Gl 4.17),mas uma vez guiados pelo Espírito Santonão estamos sob a escravidão da carne (Gl4.18). Portanto, “se vivemos no Espírito,andemos também no Espírito” (Gl 5.25).
2. Frutificando no Espírito.
Quandoo crente produz frutos dignos da vidacristã, ele glorifica a Deus. Nosso Senhorchamou-nos a dar “fruto” e escolheu-nos para permanecer dando fruto (Jo15.9,16). Frutificar no Reino de Deusé testemunhar Cristo com sua vida,por meio de boas obras de amor quemostram o caráter de Deus em você (Jo15.16; Mt 5.16; Gl 5.22).

SÍNTESE DO TÓPICO III
A mordomia do espírito está amparadaem duas esferas: andar no Espíritoe frutificar no Espírito.

SUBSÍDIO VIDA CRISTÃ
“Primeiro as coisas mais importantes
A intimidade da sala de estar queMaria teve com Jesus nunca resultará daagitação da cozinha de Marta. Agitação,por si só, causa distração. Vemos emLucas 10.38 uma mulher com a virtudeda hospitalidade. Marta abriu sua casapara Jesus, mas isso não significa queela automaticamente tenha aberto seucoração. Em sua ânsia de servir a Jesus,ela quase perdeu a oportunidade deconhecê-lo.Lucas nos diz que ‘Marta, porém,andava distraída em muitos serviços’.Em sua mente, ela se preocupava emfazer o melhor. Tinha que fazer o máximopor Jesus.Podemos ser pegas pela mesmacilada de desempenho, sentido que devemosprovar nosso amor a Deus atravésde grandes feitos. Então, nos apressamosem deixar a intimidade da sala de estarpara nos ocupar por Ele na cozinha – realizandograndes ministérios e projetosmaravilhosos, no esforço de divulgaras Boas Novas. Fazemos todo o nossotrabalho em seu nome. Nós o chamamos‘Senhor, Senhor’. Mas, no fim, será que Elenos reconhecerá? Nós o conheceremos?O reino de Deus, como você vê, éum paradoxo. Enquanto o mundo aplaudeas grandes façanhas. Deus desejacomunhão. O mundo clama ‘Faça mais!Seja tudo o que puder!’, mas nosso Paisussurra: ‘Aquietai-vos e sabei que eusou Deus’. Ele não procura tanto portrabalhadores como procura por filhose filhas – um povo no qual possa fluir”(WEAVER, Joanna A. Como ter o coraçãode Maria no mundo de Marta: Fortalecendoa comunhão com Deus em uma vidaatarefada. Rio de Janeiro: CPAD, pp.9,10).

CONCLUSÃO
A mordomia da alma e do espírito,juntamente com a do corpo, completaa conservação integral do crente (1 Ts5.23). Zelar pela nossa interioridade eexterioridade diante de Deus é reconhecerque o Pai quer dominar tudoem nós e não somente partes de nossavida. Por isso, sinta-se encorajado aexpressar Cristo como seu Salvador.Esteja nele! Seja santo! Para isso Deusnos chamou.

PARA REFLETIR
A respeito de “A Mordomia da Alma e do Espírito”,responda:
• Do ponto de vista teológico, que é a alma?
Do ponto de vista teológico, a alma é a sede das emoções e dos sentimentos.
• O que diferencia um crente espiritual do carnal?
O Espírito Santo (Gl 5.16-18,22-25). Os carnais vivem de acordo com a naturezacarnal que não foi submetida nem transformada por Cristo (Gl 5.19-21).
• Cite as três teorias acerca da origem da alma.
Teoria da preexistência, Teoria criacionista e Teoria participativa.
• Como o homem e a mulher geram um novo ser?
Homem e mulher geram um novo ser com a cooperação divina (At 17.28; Hb 1.3).
• O que o crente deve procurar na mordomia do espírito?
Na mordomia do espírito, o crente deve procurar andar em Espírito, ou seja,na direção e submissão do Espírito Santo.

CONSULTE
Revista Ensinador Cristão – CPAD, nº 79, p.37. Você encontrará mais subsídiospara enriquecer a lição. São artigos que buscam expandir certos assuntos.


Lições do 3º trimestre de 2019 – Elinaldo Renovato

Elinaldo Renovato


Avatar O comentarista do trimestre é o pastor Elinaldo Renovato de Lima, líder da Assembleia de Deus em Parnamirim (RN), escritor, conferencista na área de família, professor universitário, bacharel em Ciências Econômicas, mestre em Administração, especialista em Economia Internacional e Administração Universitária, bacharel em Teologia e mestre em Ciências da Religião; e também 1º vice-presidente da Convenção Estadual de Ministros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Rio Grande do Norte (CEMADERN).