Texto Áureo
“Mas, depois do segundo véu, estavao tabernáculo que se chama o Santodos Santos.”
(Hb 9.3)
Verdade Prática
Pelo sangue de Jesus Cristo, o véu daseparação foi rasgado. E, hoje, temosliberdade e confiança para entrar aotrono da graça de Deus.

LEITURA DIÁRIA
Segunda – Êx 26.31-37
Descrevendo o lugar Santíssimo
Terça – Hb 9.6,7
O serviço dos sacerdotes
Quarta – Lv 16.2
O aviso de Deus para o
sacerdote
Quinta – Hb 9.24-28
Jesus, o Sumo Sacerdote Eterno
Sexta – Mc 15.37,38
O caminho foi aberto para o Santíssimo
Sábado – Mt 27.51
O caminho foi aberto para a
comunhão com Deus
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Êxodo 26.31-34
31 - Depois, farás um véu de pano azul, epúrpura, e carmesim, e linho fino torcido;com querubins de obra prima se fará.
32 - E o porás sobre quatro colunasde madeira de cetim cobertas de ouro,sobre quatro bases de prata; seus colchetesserão de ouro.
33 - Pendurarás o véu debaixo dos colchetese meterás a arca do Testemunho alidentro do véu; e este véu vos fará separaçãoentre o santuário e o lugar santíssimo.
34 - E porás a coberta do propiciatóriosobre a arca do Testemunho no lugarsantíssimo,
35 - e a mesa porás fora do véu, e ocastiçal, defronte da mesa, ao lado dotabernáculo, para o sul; e a mesa porásà banda do norte.
Hebreus 9.1-5
1- Ora, também o primeiro tinha ordenançasde culto divino e um santuário terrestre.
2 - Porque um tabernáculo estavapreparado, o primeiro, em que haviao candeeiro, e a mesa, e os pãesda proposição; ao que se chama oSantuário.
3 - Mas, depois do segundo véu, estavao tabernáculo que se chama o Santodos Santos,
4 - que tinha o incensário de ouro e aarca do concerto, coberta de ouro todaem redor, em que estava um vaso deouro, que continha o maná, e a vara deArão, que tinha florescido, e as tábuasdo concerto;
5 - e sobre a arca, os querubins da glória,que faziam sombra no propiciatório;das quais coisas não falaremos agoraparticularmente.
Mateus 27.51
51 - E eis que o véu do templo se rasgouem dois, de alto a baixo; e tremeu aterra, e fenderam-se as pedras.

HINOS SUGERIDOS: 90, 97, 252 da Harpa Cristã




OBJETIVO GERAL
Explicitar que temos a liberdade de entrar no “Lugar Santíssimo”.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cadatópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

Destacar o véu do Lugar Santíssimo;
Mostrar o propósito do véuinterior;
Salientar como era o LugarSantíssimo.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Apresentar uma vida de serviço e adoração a Deus no Lugar Santo era odever do sacerdote. Foi o que vimos na lição passada. Entretanto, o sumosacerdote tinha uma função especial e importantíssima: a de apresentar osacrifício por si mesmo e por toda nação. Na lição desta semana, enfatizaremosa importância do Lugar Santíssimo e seu papel pedagógico e espiritual navida da nação de Israel. Esse lugar representava o local onde Deus respondiaao seu povo. Hoje, não temos mais o véu que nos separa da presença de Deusnem precisamos de um sumo sacerdote para apresentar sacrifícios pelosnossos pecados. O nosso Senhor e Salvador Jesus já fez tudo isso por nós. Eleé o Sumo Sacerdote perfeito.

COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO
O Lugar Santíssimo era o localmais reservado do Tabernáculo. Elerepresentava a plenitude da presençade Deus que habitava entre o povo deIsrael. Por isso, nesta lição, estudaremosa posição do véu noLugar Santíssimo, o propósitodesse véu e a dimensão doLugar Santíssimo, bem comoa sua relação com a obraexpiatória de nosso Senhore Salvador Jesus Cristo. Defato, é uma lição que edificaráa nossa vida.

I – O VÉU DO LUGAR SANTÍSSIMO
1. O véu como barreira ao livreacesso à Presença de Deus. O véu erauma cortina feita de linho fino brancoentretecido com fios de cores azul,púrpura e carmesim. O propósito dessevéu era separar o Lugar Santíssimo, noqual estava a Arca da Aliança (Êx 26.33),do Lugar Santo. No Lugar Santíssimosó podia entrar o Sumo Sacerdote, esomente uma vez ao ano, no dia daExpiação. O israelita comum não podiaentrar nesse lugar, o que demonstra queo véu era uma barreira para o homemcomum.A narrativa bíblica revela o significadoespecial do ato, de quando Jesusestava na cruz, expiando o nosso pecado.Ele ministrou intercessoriamente por nóspor meio de seu sangue no “LugarSantíssimo”, rasgando o véu daseparação. A ministração deCristo foi em favor de todoo mundo e não apenas poruma parcela especial ouétnica da humanidade (Hb9.11-14 cf. Jo 3.16).
2. O véu tinha um bordadoespecial com a figura de querubins (Êx26.31). Deus ordenara que se bordassemno véu, à mão, as figuras de querubins.Uma pergunta relevante cabe aqui:qual a razão desses querubins serembordados no véu? A Bíblia registra ahistória da rebelião de um querubimpresunçoso e orgulhoso que desejavaser igual a Deus. Mas ele foi expulsopara sempre da presença do Altíssimo(Ez 28.14). O nome desse querubim,hoje, é Satanás, o anjo que rebelou-secontra Deus e, também, levou com eleuma parte dos seres angelicais.As figuras de querubins bordadasno véu lembram ao homem que o Tronode Deus está cercado desses seresangelicais, refletindo a santidade doAltíssimo. Eles também foram esculpidossobre o Propiciatório com as asasvoltadas para a Arca da Aliança com oobjetivo de protegê-la (Êx 25.18).
3. O véu e o trançado de seus fios.
Para nós, o tabernáculo e seus móveissagrados tipificam o Senhor Jesus.Logo, podemos destacar o seguinte:os tecidos que constituíam o véu quedemarcava o Lugar Santo e o Santíssimoé símbolo do caráter santo epleno de nosso Senhor. Assim, a corazul aponta para a sua divindade; apúrpura, para a sua realeza; a branca,para sua santidade; o carmesim, paraa sua obra expiatória por toda a humanidade.Ainda, o escritor aos  hebreustraz uma imagem forte e viva do véu,juntamente com seus fios trançados,que representava, na carne” de Cristo,a união da natureza humana e divinade nosso Senhor: “Tendo, pois, irmãos,ousadia para entrar no Santuário, pelosangue de Jesus, pelo novo e vivocaminho que ele nos consagrou, pelovéu, isto é, pela sua carne” (10.19,20).

SÍNTESE DO TÓPICO I
O véu tinha um bordado especial coma imagem de querubins, era trançadoem linho fino e uma barreira ao livreacesso a Deus.

SUBSÍDIO DIDÁTICO-PEDAGÓGICO
Você pode iniciar a aula fazendoa seguinte pergunta: Qual a diferençaentre o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo?Com essa pergunta, a ideia éligar o tema da lição anterior ao temapresente a fim de que a exposição destalição faça uma diferença clara entre osdois lugares do Tabernáculo.Para ilustrar a aula, você podereaproveitar a imagem panorâmica doTabernáculo que usamos na primeiralição deste trimestre.

II – O PROPÓSITO DO VÉU INTERIOR
1. O véu era um símbolo da presençade Deus no Lugar Santíssimo. Ora, ninguémpodia ver a Deus e continuar vivo(Êx 33.20), mas os homens podiam vero véu que indicava a presença divinano outro lado. Em Hebreus, o véu tipificaa “carne” de Cristo, que encobriaa presença divina em seu corpo (1 Tm6.16; Jo 1.18; 14.9; Col 1.15,16).
2. O véu: um impeditivo ao acessoà presença de Deus (Lv 16.2; Hb 9.8). Aseparação que o véu interior fazia dosdois lugares sagrados, o Lugar Santo eLugar Santíssimo, demarcava tambémos lugares de atuação dos sacerdotes.No Lugar Santo, era permitida a entradados sacerdotes comuns; no Santíssimo,a do sumo sacerdote.
3. O véu indicava o caminho àpresença de Deus. Sabemos que o sumosacerdote podia entrar no lugar santíssimo,não por méritos pessoais nem pelaformosura do véu, senão mediante osangue da expiação (Lv 16.15). A únicafunção dele era expiar o próprio pecadoe o do povo. Por isso, toda a orientaçãodivina quanto à pureza do sumo sacerdotee de sua casa era rigorosa.Hoje, a obra expiatória de Jesusé o único meio que temos para achegar-nos à presença de Deus (Ef 2.8,9;Hb 10.19,20). Graças ao nosso amadoSenhor, já não há mais separação nemmuro entre nós e Deus, pois Cristo éo perfeito mediador entre Deus e oshomens (1 Tm 2.5).
SÍNTESE DO TÓPICO II
O véu interior tinha o propósito deser o símbolo da presença de Deus noLugar Santíssimo, o impeditivo direto
à presença divina e a indicação docaminho para Deus.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO
A revelação das Escrituras Sagradasmostra para nós que a salvaçãopela graça, hoje, é uma doutrina clarae límpida, pois “no Novo Testamento,a ‘graça’, como o dom imerecido medianteo qual as pessoas são salvas,aparece primariamente nos escritosde Paulo. É um ‘conceito central queexpressa mais claramente seu modo
de entender o evento da salvação...demonstrando livre graça imerecida.O elemento da liberdade ... é essencial’.Paulo enfatiza a ação de Deus,e não a sua natureza. ‘Ele não fala doDeus gracioso; fala da graça concretizadana cruz de Cristo’. Em Efésios1.7, Paulo afirma: ‘Em quem temos aredenção pelo seu sangue, a remissãodas ofensas, segundo as riquezas dasua graça’, pois ‘pela graça sois salvos’(Ef 2.5,8)” (HORTON, M. Horton (Ed.).Teologia Sistemática: Uma PerspectivaPentecostal. Rio de Janeiro: CPAD,2018, p.344-45).

III – COMO ERA O LUGARSANTÍSSIMO?
1. O Lugar Santíssimo tinha o formatoquadrangular. O Lugar Santíssimoé conhecido também como o “Santo
dos Santos”. Um lugar quadrangular,na forma de um cubo, que media dezcôvados de altura, dez de largura e dezde comprimento.É importante destacar, aqui, queas medidas do Lugar Santíssimo, nosistema decimal, possuem númerosdiferenciados, uma vez que pesos, medidase valores hebraicos são obscuros,e o resultado sempre produz algumaspequenas diferenças numéricas. Deacordo com a Bíblia de Estudo Pentecostal,um côvado equivalia à medida dedois palmos ou ao tamanho de nossoantebraço, o equivalente, portanto, a45 centímetros. Era menor que o LugarSanto. O Lugar Santíssimo tipificava oTrono de Deus em Israel.
2. O lugar continha apenas ummobiliário: A Arca da Aliança. A Arcada Aliança tipificava a plenitude dapresença de Deus: sua santidade, glóriae majestade. Ali, Deus habitava entreo seu povo!No Novo Testamento, essa imagemrevela o que Paulo escreveu aosefésios: “para que Cristo habite, pelafé, no vosso coração; a fim de, estandoarraigados e fundados em amor, poderdesperfeitamente compreender, comtodos os santos, qual seja a largura, eo comprimento, e a altura, e a profundidadee conhecer o amor de Cristo,que excede todo entendimento, paraque sejais cheios de toda a plenitudede Deus” (Ef 3.17-19).
3. O que podemos aprender porTrono de Deus e a importância do LugarSanto? O Lugar Santo era a antessala
do Lugar Santíssimo; o que mostra ocaráter santo da presença de Deus representadana Arca da Aliança, porqueo Deus Santo e glorioso ali estava.Não percamos de vista a dimensãoda santidade e da glória de Deus.
Sejamos santos e não desprezemos osacrifício de nosso Senhor Jesus (Hb10.26,27). Cuidado! A Palavra de Deusnos alerta que o nosso adversário“anda em derredor, bramando comoleão, buscando a quem possa tragar”(1 Pe 5.8). Vigiemos! Temamos ao Deussanto e glorioso!

SÍNTESE DO TÓPICO III
O Lugar Santíssimo era um lugar deformato quadrangular em que estavaa Arca da Aliança.
SUBSÍDIO VIDA CRISTÃ
“Há um processo de santificaçãodo espírito humano. Pouco importandoo que você diga, se o seu espírito nãofor completamente santificado, vocêsempre estará em perigo. É aquelasituação em que o diabo tem a chancede trabalhar em você.Portanto, somos ensinados a estarem santificação, na qual os rudimentos,impurezas, os afetos descomedidos e ascorrupções acabam por causa da incorrupçãopermanente. Na santificação, todos
os tipos de luxúria perdem seu poder.Este é o plano. Somente nestabusca ideal é que Deus nos abençoaem nosso estado de purificação paraque deixemos nossa posição terrena esubamos com Ele em glória. Os santosde Deus, à medida que avançam emperfeição e santidade, entendendo amente do Espírito de vida, são levadosa um lugar muito abençoado – o lugarde santidade, o lugar de inteira santificação,o lugar onde Deus é entronizadono coração.A mente santificada está tão concentradano poder de Deus, que o santopensa nas coisas que são puras e vivesob predomínio santo, em que eleexperimenta diariamente o poder e aliberdade de Deus” (WIGGLESWORTH,Smith. Devocional. Série: Clássicos doMovimento Pentecostal. Rio de Janeiro:CPAD, 2003, pp.134-35).
CONCLUSÃO
Nesta lição, percorremos o LugarSantíssimo. Ele representa a presençasantíssima e gloriosa de Deus nomeio do seu povo. Esse lugar, especiale único do Tabernáculo, mostrao que o Senhor Jesus Cristo, o SumoSacerdote Perfeito, fez ao rasgar ovéu da separação. Diferentementedaqueles dias, onde o Lugar Santo nãoera aberto a todas as pessoas, hoje,por meio da obra de Cristo, podemosentrar ao trono de Deus com ousadiae confiança.

PARA REFLETIR
A respeito da lição “O Lugar Santíssimo”, responda:
• Como era o véu do Lugar Santíssimo?
O véu era uma cortina feita de linho fino branco entretecido com fios de coresazul, púrpura e carmesim.
• O que as figuras dos querubins bordadas no véu lembram?
as figuras de querubins bordadas no véu lembram ao homem que o Trono deDeus está cercado desses seres angelicais, refletindo a santidade do Altíssimo.
• Em Hebreus, o que o véu tipifica?
Em Hebreus, o véu tipifica a “carne” de Cristo, que encobria a presençadivina em seu corpo.
• Qual o único meio, ou caminho, pelo qual podemos entrar na presençade Deus?
A obra expiatória de Jesus é o único meio que temos para achegar-nos àpresença de Deus (Ef 2.8,9; Hb 10.19,20).
• Como devemos nos portar como filhos de Deus?
Como filhos de Deus não podemos perder de vista a santidade e a glória de Deus.

CONSULTE
Revista Ensinador Cristão – CPAD, nº 78, p.40. Você encontrará mais subsídiospara enriquecer a lição. São artigos que buscam expandir certos assuntos.


Lições do 2º trimestre de 2019 – Elienai Cabral

Elienai Cabral


Avatar Elienai Cabral é Pastor, conferencista, teólogo, membro da Casa de Letras Emílio Conde, comentarista de Lições Bíblicas da CPAD e membro do Conselho Administrativo da CPAD. Autor dos livros “Comentário Bíblico de Efésios”, “Mordomia Cristã”, “A Defesa do Apostolado de Paulo – Estudo na Segunda Carta aos Coríntios”, “Comentário Bíblico de Romanos”, “A Síndrome do Canto do Galo”, “Josué – Um líder que fez diferença”, “Parábolas de Jesus” e “O Pregador Eficaz”.